Roma (Itália) De 1 ° de setembro, em que se celebra o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, a 4 de outubro, festa de São Francisco de Assis, padroeiro da Ecologia, os cristãos são convidados a viver o Tempo da  Criação 2020, uma iniciativa nascida no campo ecumênico, proposta pela primeira vez pelo Patriarca da Igreja Ortodoxa Dimitrios I em 1989.

Na esteira da Semana Laudato Si’, realizada em maio de 2020 sob o tema: “Tudo está conectado”, o  Tempo da Criação 2020, é um mês para renovar a relação com o Criador e toda a Criação através da celebração, conversão e compromisso, como família ecumênica, pela Casa Comum.

Como o Papa Francisco explicou na Mensagem de 1º de setembro  2019, o Tempo da Criação é, “um período de oração e ação mais intensas em benefício da casa comum”, “o tempo para voltar a rezar imerso na natureza, onde nasce espontânea a gratidão a Deus Criador”, o tempo para refletir sobre  nossos estilos de vida e  sobre como as nossas escolhas quotidianas são muitas vezes irrefletidas e prejudiciais, e também “o tempo para empreender ações proféticas, invocando escolhas corajosas”.  É um mês  para nos dispormos a despertar a consciência de que “a Criação é um projeto do amor de Deus pela humanidade”.

A experiência da pandemia de Covid-19 trouxe à luz a interconexão entre a condição do nosso planeta e a vida humana, como afirma a Comissão Episcopal para os Problemas Sociais e  o Trabalho, a Justiça e a  Paz e a Comissão Episcopal para o  ecumenismo e o diálogo na Mensagem para a 15ª Jornada Nacional para a  Guarda da Criação (1° de setembro de 2020):

“Ela (a pandemia) surge, além de outros motivos de saúde ainda não explicados, também como consequência de uma relação insustentável com  a Terra. (…) Em suma, esta emergência remete-nos também a outra grande crise: a ambiental, que também deve ser enfrentada com clarividência. Se “nada ficará como antes”, também neste âmbito devemos estar prontos para mudanças profundas, para sermos fiéis à nossa vocação de “guardiões da criação” “. 

Os impactos da pandemia nos forçam a considerar seriamente a necessidade de vigilância para garantir condições de vida sustentável ​​em toda a terra.  Daí o convite dirigido pelos Presidentes do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), Card. Ângelo Bagnasco, e da Conferência das Igrejas Europeias (CEC), Rev. Christian Krieger, para celebrar este ano o Tempo da Criação  com o tema “Jubileu pela terra”: “O conceito do Jubileu está enraizado na Bíblia e enfatiza que deve haver um equilíbrio justo e sustentável entre as realidades sociais, econômicas e ecológicas. A lição do jubileu bíblico nos indica a necessidade de reequilibrar os sistemas  de vida, afirma a necessidade de igualdade, justiça e sustentabilidade, afirma a necessidade de uma voz profética em defesa da casa da humanidade”.

O Tempo da Criação solicita também uma ação educativa para a promoção do desenvolvimento integral dos jovens, como  recorda a Madre Geral das Filhas de Maria Auxiliadora, Irmã Yvonne Reungoat: “Educar os jovens para serem honestos cidadãos significa também educá-los a  uma cidadania ecológica que abrace toda a criação, onde são chamados a serem artesãos de comunhão e de paz, a sentirem-se pertencentes à única família humana, responsáveis pelas suas ações e também como a voz da criação. (Circ. 961)

4 COMENTÁRIOS

  1. Hermosa vocación la de ser con los jóvenes Buenos cristianos y honrados ciudadanos que cuidan la creación y crean comunión.

  2. Nos unimos con la oración para dar gracias x el regalo de la bella creación y x su cuidado y dedicaremos espacio de tiempo a la relectura de la Laudato SII. Agradeciendo al Papa Francisco el don de su palabra.

  3. Unidas en oración y cuidado amoroso de colaborar con nuestro granito de arena para agradecer al Creador el regalo de esta hermosa Casa Común y estar atentas a acciones concretas para no contaminarla más.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.