Home Conselheira para as Missões

Conselheira para as Missões

“A Conselheira para as missões tem a responsabilidade de impulsionar a ação missionária do Instituto entre os povos em via de evangelização” (C 130)

Desde 2008 o Ambito para as Missões è animado e coordenado por Ir. Alaíde Deretti, Conselheira para as Missões.

Ir. Alaíde Deretti

Suor Alaíde Deretti
Ir. Alaíde Deretti – Conselheira para as Missões

Nasce em Massaranduba (Brasil), no dia 25 de abril de 1950. Obtém o título de Professora no Instituto Maria Auxiliadora de Rio do Sul.  E, depois dos votos religiosos, a Licença em Pedagogia, na Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre.
Nos anos de 1985-87 frequenta o Curso de Espiritualidade Salesiana no Auxilium ( Roma). Foi professora, Diretora, Secretária e Conselheira Inspetorial.

Como Inspetora da Inspetoria N.S.Aparecida de Porto Alegre (1993-1999) esteve sempre atenta para cuidar da vida espiritual das irmãs, para aprofundar a espiritualidade salesiana, para criar comunhão entre os membros da comunidade educativa, para assegurar qualidade à missão entre os jovens.
Por três anos foi Presidente da Conferência Interinspetorial do Brasil (CIB), assumiu também o encargo de Secretária executiva da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB de Porto Alegre).
Como Delegada do CGXXI (2002) participou da fase preparatória, na Comissão pré-capitular. Recebeu do mesmo Capítulo o mandato de Conselheira Visitadora. Durante o sexênio visitou 11 Inspetorias em três Continentes: América Latina, Europa e África.

No CGXXII (2008), Ir. Alaíde foi chamada a animar o Âmbito das Missões, serviço confirmado no CGXXIII (2014). Nesse período, empenhou-se na formação, acompanhamento e atualização das neo-missionárias e missionárias ad gentes. Apoiou a realização da Mostra Missionária, em Mornese, o Projeto de Espiritualidade Missionária (PEM) e o relançamento do Projeto Por uma casa comum na diversidade dos povos.
No período de 2008-2014 se fez peregrina nas terras de missão e esteve em 35 Inspetorias e 44 Nações. No período 2015-2018, 25 Inspetorias e 24 Nações. Além disso, empenhou-se em acompanhar o processo de abertura de novas presenças no Instituto, de promover a sensibilização e a formação missionária, em sinergia com os outros Âmbitos e com o Setor SDB.

Na animação do Âmbito a Conselheira é auxiliada pelas Colaboradoras:

Ir. Blanca Sánchez

Ir. Maike Loes

Le Collaboratrici dell'Ambito per le Missioni
As Colaboradoras do Âmbito para as Missões

 

O Âmbito para as Missões interage com as Inspetorias através da Coordenadora local que, na Equipe Inspetorial, contribui para a animação de processos específicos da dimensão missionária.

Blog ANDATE
FB MISSIONARIETÀ
FB PRIMO ANNUNCIO

A missão do Âmbito

«Andate… sarete miei testimoni fino ai confini della terra» (Mc 16, 15 e Atti 1,8).
«Ide… sereis minhas testemunhas até os confins da terra»
A missão é o coração da Igreja, é parte constitutiva da identidade de cada batizado. «É alguma coisa que não posso arrancar do meu ser. Eu sou uma missão nesta terra».
A missão da Igreja nasce da Missio Dei: «Deus é Amor!» Em Jesus, Deus se revelou Pai de todos e, por meio dEle, no poder criador do Espírito, confiou à Igreja a tarefa de revelar o Seu amor a todos os povos, nações e culturas: «Ide em todo o mundo e pregai o evanagelho a toda criatura».
Com o Decreto “Ad gentes” (1965) a Igreja se renovou em sua identidade missionária. Respondendo ao mandato de Jesus, é possível descobrir as sementes do Verbo presentes na realidade, despertar o  coração das pessoas e revelar o projeto de Deus.
Inserido na Igreja, o Instituto  das FMA realiza o mandato missionário de Jesus na fidelidade a suas origens carismáticas que são sempre origens missionárias! Dom Bosco e Madre Mazzaarello tornaram concreto o desejo de anunciar Jesus aos/às jovens. Por terem um coração e um olhar alargados, souberam ir além dos confins do Piemonte. No tempo, o Instituto atravessou mares e montanhas abraçando todos os povos, os continentes, os/as jovens de todos os tempos!
Hoje o Instituto vive do ardor missionário dos Fundadores e do testemunho das primeiras missionárias que partiram para o Uruguai em 1877, cheias do “Da mihi animas, cetera tolle”, com o único desejo de responder ao mandato: “A você as confio”.
O Capítulo Geral XV Especial (1969) criou o Escritório Missionário Central, hoje “Âmbito das Missões”. Desde sua criação, o Âmbito se empenha para que o Instituto possa responder à sua vocação missionária, tomando uma consciência mais clara dela, em sintonia com a Igreja nas diversas realidades geográficas e culturais. Acolhendo o convite do CG XXIII – Alargai o olhar… – o Âmbito acompanha as FMA para uma nova compreensão do mandato missionário de Jesus, para que a Palavra de Deus chegue a todas as gentes como palavra de vida, de fé e de cidadania ativa. Isto tem tarefas específicas: preparar as neo-missionárias e acompanhar as missionárias ad gentes; despertar as raízes missionárias do Instituto; colaborar na formação de comunidades interculturais; sensibilizar as comunidades educativas sobre os temas: missão ad/inter gentes, mobilidade humana, diálogo intercultural/interreligioso/ecumênico, minorias étnicas e religiosas, primeiro anúncio de Cristo, presença das FMA em contextos plurirreligiosos.

Documentação