Roma (Itália). O Senhor está nos fazendo viver esta quaresma do no de 2020 em um modo todo particular, em um modo que ninguém podia pensar ou imaginar e que verdadeiramente requer cada dia uma decidida mudança de estilo e de modalidade de vida em cada um de nós.

Com estas palavras o Card. João Braz De Aviz, Prefeito da Congregação para o Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, dirige-se a Consagrados e Consagrads em uma Carta escrita sobre a Quaresma em tempo de Coronavirus que está assinada também pelo Secretário Mons. José Rodriguez Carballo.

O convite a viver o tempo forte da fé e a serem testemunhas autênticos: “o mais eficaz testemunho” para Consagrados/as é o respeito às medidas restritivas que “nos são solicitadas por aqueles que governam, seja em nível estatal que eclesial, a tudo o que está disposto para a proteção da nossa saúde, seja como cidadãos privados, seja como comunidade”.

“Oração, sacrifício, penitência, jejum e caridade”, são as armas para arrebatar do Coração eucarístico de Jesus a graça de impedir o contágio do coronavirus.

É um “dever de caridade e de reconhecimento” assegurar a oração “incessante” e a oferta dos nossos “sacrifícios” por Autoridades, Governantes, médicos e trabalhadores sanitários, voluntários da Proteção civil e Forças armadas, “todos aqueles que oferecem seu trabalho precioso por esta calamidade.

“Como em cada época da história passada e recente, compartilhamos os sofrimentos, as ânsias, os medos, mas com a confiança segura de que a resposta do Senhor não tardará a chegar e logo poderemos cantar um solene Te Deum de agradecimento”.

Na conclusão há o pedido do Prefeito de entregar-se a Nossa Senhora do Divino Amor em sintonia com o Papa Francisco que confia a cidade de Roma, a Itália e o mundo à proteção da Mãe de Deus como sinal de salvação e de esperança”.

Ó Maria, nós nos entregamos a ti.   

Ó Maria tu resplendes sempre em nosso caminho como sinal de salvação e de esperança.Nós nos entregamos a ti, Saúde dos enfermos, que junto da cruz te associaste à dor de Jesus, mantendo firme a tua fé.
Tu, Salvação do povo romano, sabes de que temos necessidade e estamos certos de que providenciarás, porque, como em Caná da Galileia, possa voltar a alegria e a festa após este momento de prova. Ajuda-nos, Mãe do Divino Amor, a conformar-nos ao querer do Pai e a fazer o que Jesus nos dirá, Ele que tomou sobre si os nossos sofrimentos e carregou nossas dores para conduzir-nos, através da cruz, à alegria da Ressurreição. Amém”.
(Papa Francisco).

O texto integral da Carta nas diversas línguas encontra-se no Site Web da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.