Nairobi (Kenya) “Por trás das portas fechadas das nossas casas, das nossas escolas, dos nossos oratórios e Centros Juvenis… estão os nossos corações que vivem por ti”. Uma carta, publicada no Boletim Salesiano da África Oriental, Irmã Roseline Karimi Muchaki, Filha de Maria Auxiliadora da Inspetoria Nossa Senhora da Esperança (AFE), expressou a aproximação das Irmãs aos jovens que frequentam os seus Centros, que não os veem desde o locdown da metade de março de 2020.

A reabertura das escolas está prevista no Kenya para janeiro de 2021, com as medidas sanitárias necessárias: distanciamento social, máscaras faciais, higienização das mãos. A população começou a ir à Santa Missa, exceto os pequenos: somente quem tem acima de 6 anos pode participar, voltando imediatamente às suas residências.

As FMA da Inspetoria AFE tem enfrentado a situação com criatividade, desenvolvendo diversas iniciativas. Uma das primeiras atividades foi a coleta e distribuição de alimentos, por meio dos benfeitores, das famílias dos alunos, sobretudo os mais necessitados, cujos pais não puderam trabalhar.

Outro aspecto importante foi o acompanhamento dos alunos na aprendizagem em casa, através das redes sociais e das plataformas multimídias, tendo em conta que a maior parte dos estudantes não têm computador, que falta ligação à rede ou não é estável, ou as famílias não podem efetuar despesas a mais com essas providências.

Nos dois dispensários de Makuyu e Siakago, os benfeitores contribuíram com a compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) para a equipe médica e material informativo para a conscientização dos jovens e da população local.

Uma Comunidade de FMA acompanhou os jovens neste tempo de pandemia com a produção de breves videoclipes sobre temas educativos, espirituais e formativos.

São iniciativas que não só educam os jovens, mas manifestam proximidade e solidariedade, trazendo esperança e tentando amenizar o sofrimento da população.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.