Roma (Itália).  Em 22 de setembro de 2021  celebra-se a memória litúrgica da Beata Irmã Carmen Moreno e  Irmã Amparo Carbonell, mártires da guerra civil estourada na Espanha em 18 de julho de 1936, que levou à perseguição religiosa e à morte numerosos bispos, sacerdotes, religiosos e leigos, entre os quais 95 membros da Família Salesiana: 39 sacerdotes, 22 clérigos, 24 coadjutores, duas Filhas de Maria Auxiliadora, três Salesianos Cooperadores, um membro da ADMA, três aspirantes salesianos e um colaborador leigo, que deram a vida pela fé em Cristo entre os meses de julho de 1936 e abril de 1938.

As vidas da Irmã Carmen Moreno e da Irmã Amparo Carbonell se entrelaçam na Casa- Colégio de Barcelona Sarriá naquele gesto supremo de caridade fraterna e dom pela vida dos outros, em 6 de setembro de 1936, no hipódromo de Barcelona, ​​quando as duas FMA foram fuziladas.

A Beata Irmã Carmen Moreno Benitez, nasceu em Villamartín, província de Cádiz, no dia 24 de agosto de 1885. De família profundamente cristã, junto a sua irmã mais velha Paz, sentiu-se atraída pela vida das FMA que conheceu em Sevilha, durante os anos em que viveu no Colégio, e manifestou o desejo de entrar para fazer parte do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.

São inúmeros os testemunhos da eficácia do seu trabalho didático e da fecundidade do seu apostolado com os Professores e alunos residentes no Colégio de Sevilha.  Todos a recordam como uma Irmã alegre, cordial, discreta, gentil, com uma fina educação, sólida na oração e de exemplar espírito de sacrifício.

No cargo de Diretora da Casa de Valverde del Camino, em Huelva, destacou-se pelo espírito de discernimento, que lhe permitiu conhecer e valorizar a santidade de uma religiosa humilde e singular da Comunidade, Irmã Eusébia Palomino, beatificada pelo Papa João Paulo II em 25 de abril de 2004, de quem cuidou até a morte.

Durante sua doença, escreveu quanto lhe confidenciava sobre a obra que Deus estava fazendo em sua alma, escritos que foram de notável valor para o processo de beatificação de Irmã Eusébia. Além disso, Irmã Carmen, durante a perseguição religiosa que atingiu as Filhas de Maria Auxiliadora de Valverde del Camino em maio de 1931, deu testemunho de serenidade e de grande presença de alma.

Terminada sua missão em Valverde, no outono de 1935, foi novamente designada a Barcelona como Vigária Inspetorial.

A Beata Irmã Amparo Carbonell Muñoz, nasceu em Alboraya, Valência, a 8 de outubro de 1893 numa família camponesa de modestas condições, mas rica em valores cristãos transmitidos aos numerosos filhos.

Em Valência, onde ia vender os produtos da fazenda dos pais, Amparo costumava frequentar a capela do Colégio das FMA, e assim nasceu nela o desejo de se consagrar ao Senhor no Instituto das FMA, desejo não fácil de realizar devido à oposição da família e das Irmãs, pela falta de estudos.

Em 31 de janeiro de 1921, aos 27 anos, ingressou finalmente como Postulante na Casa di Formação de Barcelona-Sarriá, onde se destacou pela modéstia, simplicidade e generosa dedicação a todos os tipos de trabalho, em particular à cozinha e ao cuidado da horta e do jardim.

Em julho de 1936, no início da guerra civil, Irmã Carmen e Irmã Amparo foram para a Comunidade da Casa-Colégio de Barcelona Sarriá, onde estavam reunidas 54 FMA e 12 Noviças Salesianas de todas as comunidades da Espanha para participar dos Exercícios Espirituais anuais.

No dia 21 de julho a Casa das Irmãs foi tomada pelos militares; então as irmãs e noviças que tinham parentes em Barcelona ou nas redondezas partem, enquanto outras ficam hospedadas em uma fazenda adjacente ao Colégio.

Irmã Carmen Moreno fica para administrar as licenças e documentos de partida das Irmãs que embarcam para a Itália, com exceção da Irmã Amparo Carbonell, que junto a ela se oferece para ficar, a fim de assistir uma FMA recentemente operada e internada numa clínica, embora conhecessem o perigo  a que estavam expostas.

No dia 1º de setembro, são presas por uma patrulha de militares e interrogadas por um tribunal popular.  Não negando sua fé, a Irmã Carmen e a Irmã Amparo são condenadas à morte, enquanto a outra Irmã é libertada.

Em 6 de setembro de 2021 foi o 85º aniversário do seu  dies natalis (1936).  Em 1º de março de 2001, foram  beatificadas por João Paulo II com  outros 231 mártires da Espanha, entre os quais José Calasanz Marqués e 31 companheiros.

Fonte: Salesianas.org

Além das intenções da Igreja universal, as intenções locais e pessoais também podem ser confiadas à intercessão da Irmã Carmen e da Irmã Amparo, para promover a Causa de Canonização. Um milagre documentado pode abrir caminho para ambas à glória dos Santos, oficialmente aprovados

ORAÇÃO

Pai de infinita ternura, te rendemos graças porque sustentaste

até o testemunho supremo da fé e da caridade fraterna

Irmã Carmen Moreno e Irmã Amparo Carbonell,

que sacrificaram suas vidas por amor.

Concede também anós, por seus exemplos,

responder generosamente ao teu chamado

com uma fé coerente nas provações da vida

e com o dom de nós mesmas por amor e com alegria.

Se for a tua vontade,

concede-nos por sua intercessão

a graça que te pedimos…

Por Cristo teu Filho e nosso Senhor.

Amém

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.