Roma (Itália). O dia 6 de setembro de 2021 marca o 85º aniversário do martírio das Bem-aventuradas Ir. Carmen Moreno Benitez e Ir. Amparo Carbonell Muñoz, Filhas de Maria Auxiliadora, ocorrido durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

Na madrugada de 6 de setembro de 1936, no hipódromo de Barcelona, ​​as duas FMAs são fuziladas. Poucos dias antes, eles haviam sido presas junto com uma terceira, doente e recém-saída do hospital, que recebeu alta.

Irmã Carmen, 51 anos, e Irmã Amparo, 43 anos, tiveram a possibilidade de terem suas vidas salvas: havia lugar para elas no Princesa Giovanna, o navio italiano que em 7 de agosto de 1936, no início da guerra civil, partia de Barcelona dirigido para o porto de Gênova. Em vez disso, decidiram ficar com a irmã Carmen Xammar, que acabara de ser operada e não estava em condições de viajar.

Irmã Sylwia Ciężkowska, empenhada na Postulação das Causas dos Santos para o Instituto das FMA, observa:

“É difícil conhecer os detalhes das decisões tomadas em momentos como este. São atos heróicos, aos quais a graça dá força para aderir e a fé ajuda a resistir. As predisposições naturais e as relações comunitárias desempenham um papel. A função da Vigária Inspetorial, ligada à responsabilidade de proteger as irmãs provavelmente levou a Irmã Carmen a dizer seu próprio ‘Sim’. Irmã Amparo, mulher generosa e ‘faz-tudo’, deve ter se sentido chamada a dar uma mão na parte prática, disponibilizando seus dons. Assim, ela se oferece para ficar, somando o ‘Sim’ fraterno ao da superiora”.

A chave para ler a generosa doação das protomártires, que morreram juntas não muito longe de sua Casa religiosa, é a caridade fraterna. Irmã Carmen, com 28 anos de vida religiosa, e Irmã Amparo, com 13, no momento de necessidade souberam unir a exigência concreta do serviço e a imitação evangélica de Jesus Cristo no dom da vida pelos outros. Para apoiá-las nessa atitude, além da fé, havia o bom entendimento relacional entre elas, que as tornava fortes e corajosas na provação vivida e oferecida.

Ir. Carmen Moreno Benitez e Ir. Amparo Carbonell Muñoz foram beatificadas por João Paulo II, com outros 231 mártires da Espanha, no dia 11 de março de 2001. Fazem parte do grupo salesiano Giuseppe Calasanz Marqués e 31 companheiros, mártires.

No Calendário Salesiano, a Memória litúrgica ocorre no dia 22 de setembro, enquanto o Martirológio romano as recorda no dia 1º de setembro, data da prisão.

É significativo fazer memória no dia do seu Dies natalis ao Céu, ocorrido a 6 de setembro, há 85 anos, pedindo a sua intercessão pelas situações de guerra e violência que afligem, nestes tempos, diversas populações do  mundo.

Além das intenções da Igreja universal, as intenções locais e pessoais também podem ser confiadas à intercessão da Irmã Carmen e da Irmã Amparo, para promover a Causa de Canonização. Um milagre documentado pode abrir caminho para ambas à glória dos Santos, oficialmente aprovados

ORAÇÃO

Pai de infinita ternura, te rendemos graças porque sustentaste

até o testemunho supremo da fé e da caridade fraterna

Irmã Carmen Moreno e Irmã Amparo Carbonell,

que sacrificaram suas vidas por amor.

Concede também anós, por seus exemplos,

responder generosamente ao teu chamado

com uma fé coerente nas provações da vida

e com o dom de nós mesmas por amor e com alegria.

Se for a tua vontade,

concede-nos por sua intercessão

a graça que te pedimos…

Por Cristo teu Filho e nosso Senhor.

Amém!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.