Roma (Itália). Traz a data de 31 de janeiro de 2020, o Edital firmado pelo Card. Angelo De Donatis, para a Causa de Beatificação da Serva de Deus Madre Rosetta Marchese, FMA.

No dia 8 de março de 1982, morria em Roma a Serva de Deus Madre Rosetta Marchese, irmã professa do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.  Ir. Rosetta Marchese nasce em Aosta, em 20 de outubro de 1922, de uma família autenticamente cristã. Em sua cidade natal frequenta as escolas das Filhas de Maria Auxiliadora e logo descobre e amadurece a vocação religiosa. Com menos de dezesseis anos, no dia 15 de outubro de 1938, é recebida como Aspirante e no dia 5 de agosto de 1941 emite a Profissão Religiosa. Concluídos os estudos de Magistério, é enviada a Vercelli como Assistente das meninas internas. Em 1947 consegue a Licenciatura em Letras na Universidade Católica do Sagrado Coração. Conhecidos os seus dotes de maternidade e de animação, é-lhe confiada a docência em Turim e a direção de várias comunidades no Instituto das FMA: Caltagirone e Roma. Em 1965 é nomeada Inspetora da Inspetoria Romana Sta. Cecília. Nos anos de 1971-1973 está como Diretora em Lecco, depois, até 1975, Inspetora na Inspetoria Maria Imaculada de Milão. Em 1975 foi eleita Conselheira Visitadora e no sucessivo Capítulo Geral 1981-82, Superiora Geral do Instituto FMA. É chamada a dirigi-lo no ano centenário da morte de Madre Mazzarello (1881 – 1981), com a qual tem uma misteriosa afinidade. Atingida pela leucemia, em maio de 1982, Madre Rosetta transcorre quase dois anos entre internações hospitalares e esperança de retomada.  A Serva de Deus considera sua doença um chamado de Deus para o exercício da matenidade.

No Edital se lê: A fama de Santidade da Serva de Deus continuou «aumentando dia a dia e tendo sido solicitado formalmente que se iniciasse a Causa de Beatificação e Canonização da Serva de Deus, ao levar o pedido ao conhecimento da Comunidade eclesial, convidamos todos e cada um dos fieis a comunicar-nos diretamente ou encaminhar ao Tribunal Diocesano do Vicariato de Roma ( Praça S. Giovanni in Laterano, 6 – 00184 ROMA) todas as notícias, das  quais se possam de algum modo deduzir elementos favoráveis ou contrários à fama de santidade da mencionada Serva de Deus.

Devendo-se, além disto, recolher, de acordo com as disposições legais, todos os escritos atribuidos a ela, ordenamos, com o presente EDITAL, a quem tivesse algo em seu poder, que o remeta com a devida solicitude ao mesmo Tribunal qualquer escrito, que tenha como Autora a Serva de Deus, se não foi já entregue à Postulação da Causa.

Lembramos que com o nome de escritos não se entendem somente as obras impressas, mas também os manuscritos, os diários, as cartas e toda outra modalidade de escrito privado da Serva de Deus. Aqueles que quiserem conservar os originais, poderão apresentar cópia devidamente autenticada».

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.