Santiago (Chile). Da Inspetoria “S. Gabriel Arcanjo” (CIL) as FMA enviam notícias sobre a situação difícil e dolorosa que se está vivendo desde o passado 21 de outubro de 2019.

«Desde 21 de outubro de 2019 os habitantes de Santiago do Chile iniciaram manifestações de massa devido ao aumento da passagem do metrô, que levou o preço do bilhete de 30 pesos para 1,19 dólares. O salário mínimo é de cerca de 420 dólares, e o aumento levaria a uma despesa mensal de cerca de 47 dólares só para transporte.

Esse evento agravou a situação social existente no Chile, 30 anos de um modelo econômico que ainda não atende aos padrões de uma sociedade justa: sistema de pensões, saúde, transporte público, privatização da água, educação e mobilidade social, abusos e corrupção.

Houve episódios de protesto também violentos, destruição do metrô, saques nos supermercados e farmácias. O Presidente Sebastián Piñera declarou Estado de Emergência na Cidade de Santiago e em outras cidades do Chile.

Há também manifestações pacíficas e culturais, que despertaram a solidariedade e a união do povo. #estamosunidos.

A situação dramática nestes dias no Chile, levou à suspensão das atividades em Santiago e nas Comunidades educativas e escolares. As FMA e os colaboradores das obras salesianas continuam sua missão ainda que com dificuldades nos transportes, as longas filas para poder comprar bens de primeira necessidade, a precariedade do trabalho e o fechamento temporário da escola. As Filhas de Maria Auxiliadora no Chile, nestes tempos difíceis e dolorosos, estão junto com o povo, compartilhando o cansaço, o sofrimento, mas continuando a encorajar e alimentar a esperança de uma sociedade unida, justa e respeitosa dos direitos de todos».

As FMA no Mundo confiam a Maria Auxiliadora, auxílio nos tempos difíceis, a situação que se vive no Chile e em tantos outros países, para que todos os povos sejam unidos e gozem de justiça e de paz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.