Roma (Itália). No dia 28 de outubro de 2019, a Faculdade Pontifícia de Ciências da Educação Auxilium, iniciou o ano acadêmico 2019-2020 com a inauguração oficial, no 50º aniversário de sua ereção canônica. Com a Madre Yvonne Reungoat, Vice Chanceler da Faculdade, estavam presentes a Vigária Geral, Ir.Chiara Cazzuola, em visita canônica à Visitadoria Maria, Mãe da Igreja (RMC), a Secretária Geral, Ir.Piera Cavaglià, a Conselheira para a Administração, Ir.Vilma Tallone e a Conselheira para a Pastoral Juvenil, Ir.Runita Borja.

A manhã se abriu com a celebração eucarística presidida por Mons. Jan Romeo Pawlowski, Delegado para as Representações pontifícias da Secretaria de Estado que, citando o discurso de João Paulo II aos universitários de 1983, lembrou do estudo como trabalho intelectual na busca da verdade, que não se encontra se não for amada.  O estudo, que é trabalho no sentido moral, requer responsabilidade e leva à caridade. Mons. Pawlowski concluiu a homilia com as palavras de Domingos Sávio: “Nós aqui fazemos consistir a santidade em estar muito alegres e no perfeito cumprimento de nossos deveres”, para que ressoem entre os educadores chamados a chegar ao coração do mundo com a alegre mensagem.

Com o relatório sobre o ano acadêmico 2018-2019, a Diretora, Profa. Piera Ruffinatto, repassou as etapas, os processos, os eventos significativos e as experiências compartilhadas em um tempo que empenhou a Faculdade a “responder ao desafio de um mundo sempre mais complexo e globalizado”.

O Discurso Inaugural com o título: “Metamorfoses da democracia e implicações educacionais”, teve como protagonista o Prof. Enrico Letta, Presidente da Paris School of International Affairs da Universidade de Ciências Po de Paris, que apresentou a conexão entre democracia e formação, neste tempo de grande revolução, comparável, segundo ele, à revolução ocorrida em 1400, com a invenção da imprensa com caracteres móveis por obra de Gutenberg, “uma revolução devida à inovação tecnológica, ligada ao smartphone, que é agora a nossa segunda identidade”.

Depois de ilustrar com alguns exemplos as grandes mudanças de que somos testemunhas, Enrico Letta lembrou a importância da formação que pode fazer a diferença, para ajudar os jovens a responderem às perguntas de sentido e a encontrar, “através de uma multiplicidade de experiências, os pontos cardiais da bússola que orienta nossa vida, que não se encontra na Internet, nem no Google”. Convidou então a “a não ter medo de desconfiar da modernidade”, a ir ao fundo dos valores que, “em um turbilhão de transformações se tornam extraordinariamente atuais, para estar em condições de trabalhar com os valores fundamentais, isto é, dar um sentido às coisas que se fazem”. Por último, retomando a célebre história dos escultores medievais, concluiu com este desejo: “ A diferença está aqui: alguém fica naquele gesto e o julga pobre de significado, outro inscreve aquele gesto pobre em um desenho complexo, que dá sentido não só àquele gesto, mas ao seu dia, à sua profissão e à sua vida. Coragem, pois: vocês estão aqui construindo catedrais”.

A palavra, por fim, à Vice Gran Chanceler, Ir. Yvonne Reungoat que, antes de pronunciar a fórmula de inauguração do ano acadêmico, dirigiu sua saudação aos presentes, especialmente aos docentes e aos estudantes, às estudantes, exortando-os a ouvir profundamente a realidade para “juntos intuir o futuro com paixão, entusiasmo e criatividade, disponíveis a enfrentar mudanças para construir cultura e não, simplesmente, repetir; para entrar com abertura, desejo de compartilhar, de se deixar guiar para estarem sempre mais conscientes da responsabilidade na sociedade e na Igreja”,

Encerrando, a Madre declarou aberto o novo ano acadêmico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.