Roma (Itália).  No dia 27 de setembro de 2021, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida comunicou o tema da mensagem do Papa Francisco aos jovens por ocasião da XXXVI Jornada Mundial da Juventude de 2021 que, pela primeira vez, será celebrada na Solenidade de Cristo Rei do Universo, no dia 21 de novembro de 2021, nas Igrejas locais de todo o mundo:

“Levanta-te! Eu te constituo testemunha do que viste!”  (cf. Atos 26,16)

Na Mensagem, o Santo Padre expressa o desejo de “tomar pela mão” os jovens para prosseguir juntos na peregrinação espiritual que conduz à Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, em 2023.

As Mensagens do Papa ao evento de 2023 centram-se no verbo “levantar-se”.  O tema da JMJ 2020 foi: “Jovem, eu te digo, Levanta-te!” (Lc 7,14) e acompanhou o tempo da pandemia, em que foram vistos muitos jovens “lutar pela vida, semear esperança, defender a liberdade e a justiça, ser artífices de paz e construtores de pontes”.

O Papa Francisco dirige-se a eles com um novo apelo: “Hoje, mais uma vez, Deus diz a cada um de vós: “Levanta-te!” Espero de todo o coração que esta mensagem nos ajude a nos preparar para tempos novos, a uma nova página na história da humanidade. Mas não há possibilidade de recomeçar sem vós, queridos jovens. Para se reerguer, o mundo precisa da vossa força, do vosso entusiasmo, da vossa paixão ”.

Convida-os, portanto, a meditar sobre a conversão de São Paulo, que, de “perseguidor justiceiro”, torna-se “discípulo testemunha” e os orienta à descoberta do amor incondicional de Deus a cada homem:

“O Senhor escolhe alguém que o perseguia, totalmente hostil a ele e aos seus. Mas não há pessoa que para Deus seja irrecuperável. Através do encontro pessoal com Ele é sempre possível recomeçar. Nenhum jovem está fora da porta da graça e da misericórdia de Deus”. 

“Levanta-te e testemunha!”.  O convite de Paulo dirige-se hoje a cada um/uma dos jovens.  O Papa Francisco oferece-lhes algumas indicações concretas sobre como “levantar-se” e “tornar-se testemunhas” nos confrontos de tantos que encontram “nos ‘caminhos de Damasco’ do nosso tempo”: testemunhar a própria experiência de encontro com a Luz, o amor e o respeito nas relações, defender a justiça social, a verdade e a retidão, os direitos humanos, os perseguidos, os pobres e vulneráveis, os que não têm voz na sociedade, os imigrantes, etc.

Para que a «JMJ Diocesana» seja vivida plenamente como momento de celebração «para os jovens» e «com os jovens, o Dicastério para os Leigos, Família e Vida publicou o subsídio Orientações Pastorais para a Celebração da Jornada Mundial da Juventude nas Igrejas particulares, destinado às Conferências Episcopais, aos Sínodos das Igrejas Patriarcais e Arcebispados Maiores, às dioceses/ eparquias, aos movimentos eclesiais e associações e, por último, mas não menos importante, aos/às jovens de todo o mundo.

No subsídio recordam-se as orientações da Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos sobre o tema: «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional» (2018): «A celebração destas Jornadas de jovens em nível local é extremamente útil para manter viva na consciência eclesial a urgência de caminhar com os jovens, acolhê-los e ouvi-los com paciência, anunciando-lhes a Palavra de Deus com afeto e energia”.

O percurso trienal terminará em 2023, com o reencontro de todos  os/as jovens do mundo em Lisboa, Portugal, para celebrar a XXXVII JMJ com o tema: “Maria levantou-se e saiu apressadamente” (Lc 1,39).

“A Igreja tem muito a dizer aos jovens e os jovens têm muito a dizer à Igreja”

(João Paulo II, Christifideles laici, 46)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.