Roma, (Itália).  Em 20 de junho de 2021, celebra-se o Dia Mundial do Refugiado, indicado pelas Nações Unidas e celebrado pela primeira vez em 20 de junho de 2001 para comemorar a aprovação em 1951 da Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados, que define os direitos daqueles que obtiveram o asilo e as responsabilidades das nações que os acolhem.

O Dia tem o objetivo de sensibilizar a opinião pública sobre as condições de milhões de refugiados e requerentes de asilo que, obrigados a fugir das guerras, violências e perseguições, abandonam as próprias famílias e suas casas em busca de segurança em outro país.

Pelos dados do relatório de 2020, existem mais de 80 milhões de refugiados, o equivalente a 1% da população mundial.  Mais de 30 milhões são crianças e adolescentes abaixo de 18 anos.  O número de pessoas em fuga à procura de segurança dentro ou fora de seus próprios países quase dobrou no espaço de uma década, com uma cifra sempre menor de refugiados voltando para casa.

Juntos podemos fazer a diferença é a campanha para o Dia Mundial do Refugiado de 2021 promovida pela UNHCR, Agência das Nações Unidas para os Refugiados, para pedir uma maior inclusão dos refugiados nos sistemas de saúde, escolas e esporte.

“Os refugiados são alunos e professores, atletas, cozinheiros, médicos e enfermeiros. Levam consigo na fuga uma bagagem de competências que podem enriquecer as comunidades anfitriãs, tornando-se recursos preciosos para a sociedade e para o bem comum”, explica a Dra. Chiara Cardoletti, Representante da UNHCR da Itália, Santa Sé e San Marino.

O trabalho e a formação contribuem para a autoestima pessoal e permitem que os refugiados se tornem independentes, dando o seu contributo à economia das comunidades de acolhimento.  O estudo ajuda-os a construir um futuro melhor para eles, suas famílias e a sociedade.  O esporte promove o bem-estar físico e psicológico, favorecendo as relações comunitárias.

O estudo, o trabalho e o esporte são elementos fundamentais nas Obras salesianas de acolhimento aos refugiados que, através do sistema educativo de Dom Bosco e Madre Mazzarello, visam ao crescimento harmônico e integral da pessoa, promovendo a dignidade e a plena realização.

O Dia Mundial será comemorado com uma série de encontros, a partir da Conferência de Imprensa, em que será apresentado o relatório estatístico da UNHCR Tendências Globais de 2020 sobre migrações forçadas no mundo, com a intervenção da Dra. Chiara Cardoletti e os testemunhos de inclusão acadêmica e de trabalho de alguns refugiados.

Entre as iniciativas, o Festival de Conscientização e o evento esportivo organizado pelo Liberi Nantes no âmbito do projeto Futebol para a Unidade financiado pela Comunidade Europeia e liderado pela UEFA Fundação para Crianças.  Em 19 de junho, 100 jovens de 12 a 26 anos, entraram em campo no complexo esportivo Fulvio Bernardini de Roma, para demonstrar o potencial do futebol em promover a inclusão social e a igualdade de gênero.

Em 20 de junho, será lançado o projeto A Moda Ganha o Mundo, que envolve a inclusão de 15 refugiados e migrantes nas empresas da moda italiana, com um evento sobre o tema da inclusão dos refugiados ao trabalho no Palácio Paris em Milão, organizado pela Câmara Nacional da Moda em colaboração com a UNHCR.

A data de 20 de junho de 2021 fecha também a Campanha Internacional da Cáritas Internacional organização católica a que pertencem todas as Cáritas nacionais – “Partilhe o caminho – Partilhemos a viagem“, inaugurada a 27 de setembro de 2017 pelo Papa Francisco com o convite: “Irmãos, não tenhamos medo de compartilhar a viagem! Não tenhamos medo! Não tenhamos medo de compartilhar a esperança”.  O objetivo da Campanha era a criação de espaços e oportunidades de encontro entre os migrantes, refugiados e comunidades locais, promovendo a cultura do encontro e do conhecimento recíproco, com 130 iniciativas realizadas por 162 Cáritas nacionais, com o apoio da FAO, UNHCR e outras organizações mundiais.

Na Coletiva de imprensa no encerramento da Campanha, realizada em 15 de junho de 2021, em Roma, na Sala de Imprensa da Santa Sé, o Card. Luís Antônio Tagle, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos e Presidente da Cáritas Internacional, sublinhou como a iniciativa ajudou a “chegar aos migrantes, a abraçar a sua pobreza e sofrimento, a consolá-los com a convicção de que não são números, mas pessoas com nomes, histórias e sonhos” e convidou a continuar “a compartilhar a viagem com os migrantes, especialmente neste momento tão difícil”.

Mons. Bruno-Marie Duffé, Secretário do Dicastério para o Serviço do  Desenvolvimento Humano Integral, reconheceu como frutos da Campanha a abertura de tantas pessoas que viu “aproximar-se dos migrantes, abrir os braços e o coração” e como a migração oferece uma oportunidade para superar os medos e, através do encontro, deixarem-se enriquecer pela diversidade dos dons de cada um.

“Rumo a um nós sempre maior” é o tema do 107º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, que será celebrado em 26 de setembro de 2021, ao qual devemos nos preparar, lendo a Mensagem do Papa Francisco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.