Roma (Itália). Nos dias 16 e 17 de novembro de 2019, na Casa Geral dos Irmãos das Escolas Cristás, realizaram-se as duas costumeiras jornadas do ano social 2019-2020 das Famílias Carismáticas com o tema: “As famílias carismáticas que palpitam com o coração da Igreja em saída”.

Participaram deste encontro Ir Maria Luisa Miranda, Conselheira Geral para a Família Salesiana, Ir Leslie Sândigo, Delegada Mundial dos Salesianos Cooperadores e a Sra. Mariella La Mura, Ex-aluna das Filhas de Maria Auxiliadora.

Nestas jornadas, as Famílias Carismáticas – nascidas da solicitação do Papa Francisco para dar ao carisma um respiro universal, como dom do Espírito – ocuparam-se atentamente com a “Igreja Povo de Deus dos, entre e nos povos”.

Este é o tema que inspirará também o dia 23 de maio de 2020, promovido pela Assembleia da AMCG-Famílias Carismáticas, escolhido justamente porque, após os dois últimos Sínodos dos Bispos, destinados a marcar o caminho nos próximos anos, as Famílias Carismáticas tivessem uma atenção especial para a Igreja pela qual existem e trabalham.

Padre Gino Buccarello, O.SS.T., desenvolvendo o tema “Igreja em saída, povo de Deus”, focalizou a atenção no significado de “Igreja em saída” nas duas direções de “entrada” no mistério, e de “saída” em direção às Gentes, através de um sugestivo paralelismo entre a vocação de Abraão e a vocação da Igreja e das Famílias Carismáticas.  Abraão, homem descentralizado porque deixou espaço ao protagonismo absoluto de Deus, entrou no mistério que lhe permitiu sair de si mesmo, encontrar seu verdadeiro eu e tornar-se pai de todos os crentes. A tarefa a que somos chamados como leigos, religiosos/as, sacerdotes, religiosos ou diocesanos dentro e entre as Famílias Carismáticas é testemunhar na Igreja, povo em caminho, a alegria de pertencer a Deus e aos irmãos, na riqueza dos carismas aceitos e doados.

A reflexão intitulada “Sinodalidade Missionária: do Sínodo dos Jovens ao Sínodo Panamazônico” foi apresentada por Pe. Rossano Sala, SDB. “É bonito experimentar que a Igreja é verdadeiramente católica, que é universal! É realmente bom reconhecer que a Igreja é “Igreja das gentes” constituída e instituída ‘de’ e ‘para’ todas as gentes, onde há uma troca real de  dons”, foram palavras dele. Foi muito apreciado o modo experiencial, simples e envolvente com que o relator conseguiu transmitir o próprio coração da experiência dos dois Sínodos vividos, oferecendo pontos válidos para compreender a importância de abraçar o método sinodal para construir relações novas no interior das Famílias Carismáticas, entre as diversas Famílias e na Igreja.

Aos relatórios seguiram-se alguns testemunhos de vida. A primeira “Boa prática de Igreja em saída” foi apresentada por Fr. Enrico Muller FSC.  A segunda experiência: “Boa prática na Missão Amazônica” foi compartilhada com entusiasmo por Ir Izabel De Carvalho, SCVI.

Esta Assembleia teve também uma certa importância porque chamada a votar a Carta Magna da Associação AMGC-Famílias Carismáticas e a renovar a Comissão, formada por membros que cada Família Carismática identificou e disponibilizou,  encarregada também de eleger o Comitê Executivo.

O compromisso para com uma “Igreja em saída”, em caminho sinodal, caracterizou estes dois dias, deixando em todos os participantes um profundo sentido de gratidão a Deus e à Igreja, juntamente com o desejo de continuar a crescer na experiência de comunhão e de intercâmbio, para uma missão sempre mais alegre e eficaz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.