Roma (Itália) Em 5 de junho de 2020, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1972 para chamar a humanidade às responsabilidades ambientais.  O slogan da edição de 2020 é Tempo para a natureza e o tema é a  biodiversidade:

“Os alimentos que ingerimos, o ar que respiramos, a água que bebemos e o clima, que torna o nosso planeta habitável, todos vêm da natureza. São tempos incomuns em que a natureza está nos enviando uma mensagem: para cuidar de nós mesmos, precisamos cuidar da natureza”.  (Site do Dia do Meio Ambiente)

A biodiversidade sustenta toda a vida terrestre e marinha e abrange todos os aspectos da saúde humana, garantindo ar e água limpa, alimentos nutritivos, resistência a doenças e suavização das mudanças climáticas.  Mudar ou remover um elemento deste circuito afeta todo o sistema da vida e pode ter consequências negativas. Acontecimentos recentes, como incêndios florestais no Brasil, nos Estados Unidos e na Austrália, invasões de gafanhotos na África Oriental e, atualmente, a pandemia de Covid-19, destacam a interdependência entre os seres humanos e os  ecossistemas.  A perda de biodiversidade corre o risco de ter efeitos sérios na humanidade.

Na homilia do início do pontificado (19 de março de 2013), o Papa Francisco destaca: “Conservamos Cristo em nossas vidas, para defender os outros, para proteger a criação“. Por ocasião da Semana Laudato Si’, realizada de 16 a 24 de maio  de 2020, com o tema “Tudo está conectado”, o Santo Padre convidou as comunidades católicas de todo o mundo a aprofundar seu compromisso pela salvaguarda da Criação e a promoção de uma ecologia integral.

Irmã Runita Borja, Conselheira para a Pastoral Juvenil  do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, escreve: “Com a experiência da pandemia, reconhecemos que tudo está conectado. Estamos conectados com Deus, entre nós e com toda a criação. Quando um desses vínculos é rompido, pode haver consequências negativas: aquecimento global, desertificação, guerra, pobreza, fome, violação dos direitos humanos. O bem também pode ter um efeito em cadeia, e isso é encontrado nas iniciativas de solidariedade implementadas para  enfrentar as consequências da pandemia.

“Vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10, 10): assim Jesus apresenta a missão, uma resposta à pergunta sobre o sentido da vida.  A vida é um presente recebido e um dom para compartilhar.  Todos fazem parte da história que é vivida e construída em conjunto.  Aqui está a raiz da responsabilidade para com a criação: amar a Deus e amar ao próximo significa cuidar da humanidade e de toda a criação, sentindo a  responsabilidade pelo futuro das gerações mais jovens! “Recordando o apelo do Papa Francisco na Laudato Si ‘, convida as comunidades educativas a fazer três gestos: rezar pela criação e com a criação, viver com simplicidade, promover o cuidado da nossa casa comum.

Para o Dia Mundial do Meio Ambiente e para o mês de junho, recomenda a “dar tempo para  natureza” com  a contemplação, o cuidado com a criação, um ritmo descontraído da vida, um estilo de vida sóbrio. Propõe, então, uma iniciativa concreta: tirar algumas fotos que expressem os momentos – pessoais, como famílias, como grupos – dedicados ao cuidado da natureza  para compartilhar com as Comunidades educativas nas redes sociais, usando as  hashtags:

#pornatureza #pelanaturalidade #fluiranatureza #pelanatureza #atravésdanatureza

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.