Roma (Itália). Celebra-se em 25 de novembro de 2021 o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas por meio da resolução número 54/134 de 17 de dezembro de 1999. A ONU escolheu a data de 25 de novembro em memória das irmãs Mirabal – três ativistas da República Dominicana brutalmente assassinadas em 1960 por ordem do soberano do País – convidando os governos, as organizações internacionais e as ONGs a organizar atividades de conscientização da opinião pública sobre o tema.

Como recorda o Secretário-Geral das Nações Unidas Antônio Guterres na Mensagem para o Dia 2021, a violência contra as mulheres e as meninas continua a ser uma das questões sobre os direitos humanos mais prementes do mundo moderno, com repercussões em toda a sociedade, “desde as cicatrizes sobre a próxima geração ao enfraquecimento do tecido social”.

O relatório de 2021 da UN Mulheres, a entidade das Nações Unidas dedicada à paridade de gênero e ao empoderamento das mulheres, destaca um aumento da violência contra mulheres e meninas durante a pandemia de Covid-19.  “Mas a violência contra as mulheres não é inevitável”, sustenta Guterres, acreditando que, empreendendo ações e estratégias que enfrentem as causa na raiz da violência e promovam as mulheres e meninas em seus direitos, possa levar a uma mudança da situação.

São diversas as iniciativas promovidas por Escolas, Entidades e Organizações neste Dia para chamar a atenção de alunos/as, de Instituições religiosas e civis e da opinião pública sobre as várias problemáticas ligadas a esta emergência social, entre as quais a “Chamada à ação”, que convidam a empreender caminhos de mudança.

Em 25 de novembro de 2021, por ocasião do Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, Talitha Kum a rede anti-tráfico das religiosas de todo o mundo, junto à União Internacional das Superioras Gerais (UISG) e ao Fundo de Solidariedade Global, convida ao lançamento de uma Chamada à ação contra o tráfico intitulado #CareAgainstTrafficking.

Todo ano são 50 mil as vítimas do tráfico no mundo, 72% das quais são mulheres. A cada 10 vítimas, 5 são mulheres adultas e 2 são meninas.  Fundada em 2009 pela UISG, a rede internacional anti-tráfico Talitha Kum – da qual também foram promotoras duas Filhas de Maria Auxiliadora, Irmã Bernadette Sangma e Irmã Estrella Costalone – conta com a participação de mais de 3.000 religiosas, apoiadoras e parceiras em todo o mundo e coordena 50 redes em mais de 90 países.

A apresentação da iniciativa – transmitida ao vivo no canal do You Tube UISG das 15h00 às 17h00 (hora italiana) – terá uma dimensão internacional, com a participação das coordenadoras de todos os continentes e a apresentação do documento #CareAgainsTrafficking, que convoca à ação contra o tráfico governos, cidadãos, organizações da sociedade civil, as universidades. Programa

O Papa Francisco, no dia 24 de novembro de 2021, dirigindo uma saudação aos membros da Associação Italiana de Vítimas da Violência, encorajou a quem se dedica ao apoio daqueles que sofrem maus-tratos e vivem em situação de dificuldade:

“Com a vossa importante atividade, contribuís para construir uma sociedade mais justa e solidária. O vosso exemplo suscite em todos um renovado empenho, para que as vítimas da violência sejam protegidas e os seus sofrimentos tomados em consideração e escutados”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.