Manila, (Filipinas).  Apesar das limitações causadas pela pandemia de Covid-19, as Comunidades das Filhas de Maria Auxiliadora da Inspetoria Santa Maria Domingas Mazzarello das Filipinas (FIL) procuram novos caminhos para continuar a missão pastoral educativa e chegar aos pobres, especialmente aos/às  Jovens.  Além das iniciativas de socorro aos pobres e da adaptação das escolas aos planos de aprendizagem integrada (online e presencial), as FMA também repensam a missão oratoriana em chave tecnológica.

Os Oratórios-Centros Juvenis (OCJ) da Inspetoria FIL destinam-se aos jovens mais pobres.  Cada comunidade FMA anima um OCJ em áreas urbanas como Manila, ou em localidades rurais como Mindoro e Negros Ocidental, ou nos territórios das populações indígenas de Mindoro e Pampanga. Durante o lockdown, cada comunidade elaborou propostas para atingir os jovens e as famílias por meio das ferramentas digitais, em base às possibilidades econômicas de cada uma.

Através desses meios, também são realizadas atividades nas quais as famílias podem participar, permitindo ganhar prêmios que garantam a alimentação à mesa.  Os OCJ também distribuem cestas básicas periodicamente, graças a benfeitores locais e internacionais, para sustentar as famílias, especialmente se os chefes de família perderem seus empregos.  A Comunidade Inspetorial encaminhou algumas mães para venderem verduras e, assim, obterem uma pequena renda familiar.

A pandemia de Covid-19 levou a uma maior conscientização sobre a exclusão digital (digital divide) no país, especialmente nas áreas rurais, onde a conexão com a Internet é ruim.  Além disso, nem todos os oratorianos possuem os dispositivos – laptops, tablets, smartphones – ou não têm dinheiro para recarregá-los.

Em algumas comunidades, como a Casa Inspetorial de Manila, o “Bom dia” e as catequeses são enviados pelo Facebook Messenger via SMS ou MMS aos telefones celulares, para que os jovens e as mães possam recebê-los mesmo sem wi-fi ou dados móveis. Outras comunidades os enviam em forma de imagens com legendas.

As FMA que animam o OCJ, onde os jovens têm um acesso mais fácil à Internet, utilizam o Facebook para transmitir, online, as catequeses, além de iniciativas e concursos que estimulam a criatividade dos/das jovens.  Animadores, voluntários e mães são envolvidos para animar programas online e momentos de festa.

Algumas FMA que cuidam dos jovens mais pobres, como na comunidade de São João  Bosco de Paço (Manila), pedem as permissões ao governo local para sair e encontrar os/as jovens por um breve período, no qual podem evangelizar e atender às suas necessidades mais urgentes, segundo as possibilidades da Comunidade e graças aos benfeitores.

As animadoras dos OCJ buscam maneiras de alcançar os/as jovens neste “novo normal”, empregando seu tempo para o confronto, planejamento e o trabalho em rede, tentando gerenciar melhor os recursos, tempo e energia, porquanto são animadores do oratório, mas também têm outras funções e responsabilidades.

A pandemia de Covid-19 pegou a todos de surpresa, mas, aos poucos, as Comunidades Educativas estão aprendendo não só a sobreviver, mas a crescer exuberante, construindo um ambiente que gera vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.