Eccomi, manda me!

Roma (Itália). Na Solenidade de Dom Bosco, no dia 31 de janeiro de 2019, Madre Yvonne Reungoat – Superiora Geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – comunicou à comunidade da Casa Geral a destinação das 8 irmãs neo-missionárias.

As neo-missionárias, provenientes de 6 Inspetorias e de 2 Continentes, acompanhadas pela Conselheira para as Missões, Ir. Alaíde Deretti, viveram, de 22 a 31 de janeiro, o período de discernimento em vista da destinação, que se efetuará a partir de julho próximo. 

No encontro com a comunidade, antes do anúncio da destinação das neo-missionárias, Madre Yvonne disse: “A festa de Dom Bosco é uma graça para cada uma de nós; sermos monumento de Gratidão a Deus nos renova na vocação e no entusiasmo missionário. Agradeçamos a Deus e a Nossa Senhora,  porque o Instituto continua sendo missionário. Agradeçamos pelo dom das neo-missionárias que acolhem o chamado do Senhor para deixar a própria terra e levar o carisma em outros contextos e nações. Acompanhemo-las com a oração, para que possam transmitir o amor de Deus aos mais pequenos e pobres”.

No final da Boa Noite da Madre, a Conselheira comunicou-se com todas as Inspetorias para dar a notícia oficial. Em sua carta, Ir. Alaíde, lembrando as palavras do Papa Francisco, escreve: «Façamos missão inspirando-nos em Maria, Mãe da evangelização. Ela, levada pelo Espírito, acolheu o Verbo da vida na profundidade de sua humilde fé. Que a Virgem nos ajude a dizer o nosso “sim” na urgência de fazer ressoar a Boa Nova de Jesus em nosso tempo».

A Conselheira agradeceu pelo sim generoso de cada neo-missionária e das Inspetorias de origem, que enviaram irmãs, mesmo na precariedade e pobreza, para que se possa difundir o carisma em outras realidades e seja reconfirmada a identidade do Instituto educativo-missionário.

Realmente, quando Dom Bosco fundou o Instituto das FMA, foi movido por um forte impulso missionário. Nunca como hoje, as FMA são convidadas a manter vivo o impulso missionário das origens (C 6).

Segue a destinação das neo-missionárias:

  Sobrenome – Nome Inspetoria

de Origem

Destinação
1 Ir. Bui thi Hoai Yen Maria VTN FIL Papua Nova Guiné
2 Ir. Bui thi Vu Ngoc Linh Teresa VTN PAR – Paraguai
3 Ir. Da Silva Gomes Isabel TIN BBH – Brasil (Belo Horizonte)
4 Ir. Mamani Liendro María Susi BOL INM – Sri Lanka
5 Ir. Nguyen thi Long Phuong Maria VTN INM – Sri Lanka
6 Ir. Pasi Aprilda Mary INS AEC – Gabon, Camerum, Guiné Equatorial, Congo Brazzaville
7 Ir. Sebastian Maria Helen FIL SUO – Estados Unidos
8 Ir. Yun Hee Joung Asella KOR AES – Etiópia, Sudão, Sudão do Sul

 

Em 2019, é significativo o envio missionário destas irmãs. O Âmbito das Missões já se prepara para viver – em união com todas as comunidades FMA – as Celebrações para assegurar a vitalidade missionária, não só do Instituo, mas de toda a Igreja.

Neste ano, há diversas ocorrências a serem vividas em atitude de “saída”:

  • O Centenário da Carta Apostólica Maximum Illud de Bento XV sobre a atividade realizada pelos missionários no mundo ( 30 de novembro de 1919);
  • O Mês Missionário Extraordinário com o tema: “Batizados e enviados” (Outubro 2019);
  • O Sínodo Panamazônico com o tema: “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral” (Outubro 2019);
  • O Ano Internacional das Línguas Indígenas, proclamado pelas Nações Unidas porque “essenciais” para os direitos humanos, a paz e o desenvolvimento sustentável;
  • Os 50 anos da Páscoa da Beata Ir. Maria Troncatti ( 25 de agosto de 1969);
  • Os 50 anos da criação do Escritório Missionário Central (hoje Âmbito Missões) e da nomeação de uma Conselheira Geral com o encargo específico para as Missões ( Capítulo Geral XV Especial – 1969);
  • Os 50 anos da transferência da Casa Geral de Turim para Roma (11 de outubro de 1969) como ponto de referência na vida das missionárias: é o lugar onde atualmente se preparam para a missão ad gentes, onde são acompnhadas pela Madre, pelo Conselho Geral, pela Conselheira e pelo Âmbito das Missões, pela comunidade da Casa Geral, onde recebem a destinação e de onde partem para a aprendizagem de uma nova língua e também para a nova Inspetoria.

Com este envio missionário, cada FMA é enviada para renovar a própria adesão ao “Da mihi animas, cetera tolle” e para a entrega “A ti as confio”. É a grande oportunidade para viver como missionárias de esperança e de alegria, como pede o Capítulo Geral XXIII, com um olhar alargado em direção às periferias do mundo, onde estão os jovens mais necessitados que esperam o milagre da vida para si e uma perspectiva de futuro.

O Âmbito das Missões deseja um fecundo Ano Missionário a todas as comunidades educativas, para ser vivido na esprança, na alegria e no dom de corações e de mentes a partir do timbre missionário!

«Em saída, como os discípulos de Emaús, fortalecidas na fé e na esperança, vamos com coragem e alegria rumo às periferias juvenis que precisam da luz do Evangelho». (Atos CG XXIII, 62)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.