Lorena (Brasil). A equipe do laboratório de materiais, texturas e modelagem, vinculada ao Doutoramento e aos Cursos de especialização do Centro Universitário Teresa D’Avila  (UNIFATEA) mobilizou-se contra a emergência Covid-19, com uma rede para a produção de protetores faciais e dispositivos de proteção individual (DPI) através de impressoras 3D. A atividade realiza-se em colaboração entre professores, alunos e funcionários de três Institutos de Ensino Superior: UNIFATEA, Escola de Engenharia Lorena (EEL / USP) e Faculdade Serra Dourada.

Os protetores faciais, utilizados para prevenir infeções e aumentar a proteção dos profissionais que trabalham para erradicar o coronavírus, são reutilizáveis, ajustáveis e protegem o rosto, nariz, boca e olhos do contacto com partículas contagiosas. As telas faciais são doadas para às equipes da rede municipal de saúde da cidade de Lorena. As doações poderão ser estendidas às cidades vizinhas, quanto mais material primário receber a equipe que produz os dispositivos, maior será a produção de peças.

O projeto faz parte de uma série de iniciativas realizadas por uma rede, denominada Smart Society, composta por professores, estudantes e funcionários dos principais centros universitários da cidade de Lorena, que colaboram com empresas locais para implementar ideias e novos projetos para ajudar a sociedade neste momento da pandemia de Covid-19. A rede está a alargar-se a parceiros de outras cidades do vale do Paraíba, como Guaratinguetá, Cruzeiro, Taubaté e Pindamonhangaba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.