Roma (Itália).  No dia 26 de setembro de 2021 celebra-se o 107º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR), instituído pela Igreja em 1914 para chamar a atenção das Comunidades eclesiais e civis e levar à oração pela realidade dos migrantes e refugiados.

O tema da Mensagem 2021Rumo a um “nós” sempre maior – expressa uma preocupação e um desejo que o Papa Francisco retoma da Carta Encíclica Fratelli Tutti: Passada a crise sanitária, a pior reação seria cair ainda mais num febril consumismo e em novas formas de autoproteção egoísta.  Queira o Céu que no final não haja mais “os outros”, mas apenas um “nós” – n° 35).

O “nós” é o horizonte do caminho comum, que sempre esteve presente no projeto da Criação (Gn 1,27-28) e “destinado a incluir toda a família humana, todos os povos”. Um caminho que tem como centro e cumprimento o mistério de Cristo, morto e ressuscitado, “para que todos sejam um” (Jo 17, 21).

No entanto, este “nós” querido por Deus ”está quebrado e fragmentado, ferido e desfigurado” , especialmente em tempos de maior crise como a pandemia da Covid-19, em que os nacionalismos e individualismos dividem o “nós” e levam a afastar de si os “outros”: os estrangeiros, migrantes, marginalizados, que vivem nas periferias existenciais.

Na verdade, estamos todos na mesma barca e somos chamados a empenhar-nos para que não haja mais muros que nos separem, não mais os ‘outros’, mas apenas um ‘nós’, tão grande como a humanidade inteira”, diz o Papa Francisco, e lança um duplo apelo a caminhar juntos rumo a um ‘nós’ sempre maior:

Uma Igreja sempre mais católica. A universalidade é a realidade da Igreja a  reconhecer e viver em todas as épocas.  A ação do Espírito torna-nos capazes “de abraçar a todos para a comunhão na diversidade, harmonizando as diferenças sem nunca impor uma uniformidade que despersonaliza”.  Os fiéis católicos e a Igreja são, portanto, chamados a acolher as diversidades como oportunidade de enriquecimento recíproco, a abrirem-se às periferias existenciais sem preconceitos e medos, a reconhecerem nos fluxos migratórios e contemporâneos uma nova “fronteira” missionária e uma ocasião privilegiada de anunciar Jesus Cristo e o seu Evangelho.

Um mundo sempre mais inclusivo, uma única família humana, onde ninguém seja excluído: “O futuro das nossas sociedades é um futuro ‘a cores’, enriquecido pela diversidade e pelas relações interculturais. Para isso devemos aprender hoje a viver juntos, em harmonia e paz”.  O apelo do Papa requer o empenho de todos os homens e mulheres para derrubar os muros e promover a cultura do encontro, empregar bem os dons recebidos de Deus e ser corresponsáveis ​​por tornar ainda mais bela a criação, o ‘tesouro’ comum, para “realizar um desenvolvimento mais sustentável, equilibrado e inclusivo”.

Para preparar-se e viver o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado 2021, o Site  do Dicastério do Serviço do Desenvolvimento Humano Integral oferece material em várias línguas para a celebração do Dia e recursos multimídia para usar e compartilhar: os vídeos do Papa para promover nas comunidades maior compreensão e consciência em relação aos migrantes e refugiados e alguns testemunhos de experiências positivas de migração.

O Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora acolhe o desafio pastoral de fazerem-se próximos de quantos se encontram em situações de precariedade e marginalização, através da ação concreta de tantas Comunidades educativas do mundo que abrem as portas e o coração para dar esperança e um futuro melhor a famílias de migrantes e refugiados, educando ao respeito pela diversidade e à inclusão.

“Somos chamados a sonhar juntos. Não devemos ter medo de sonhar e de fazê-lo juntos como uma única humanidade, como companheiros da mesma viagem, como filhos e filhas desta mesma terra que é a nossa casa comum, todos irmãs e irmãos” (cf. FT, 8).

2 COMENTÁRIOS

  1. Muy buena laz. reflexion en un mundo inclusivo tenemos que soñar juntas….
    El Capitulo General y su transmisión nos ayudará a soñar y caminar juntas.
    Estoy segura que así será…Ánimo y deseo de caminar y mirar el futuro juntas.
    Siempre mi oracion y cariño

  2. La Iglesia Madre siempre pensando en sus hijos emigrante y refugiados debemos dar una mano de Ayuda hacer les sentir hnos.
    Un abrazo Sor Aida

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.