Roma (Itália). No dia 7 de setembro de 2021, com uma Coletiva de Imprensa na Sala de Imprensa da Santa Sé, foram apresentados o Documento Preparatório e o Vademecum para a animação da primeira fase preparatória do itinerário do Sínodo dos Bispos sobre o tema:“Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”.

A solene abertura do Sínodo será no dia 10 de outubro de 2021 em Roma e no dia 17 de outubro em cada Igreja particular. Uma etapa fundamental será a celebração da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2023, à qual se seguirá a fase de implementação, que envolverá novamente as Igrejas particulares.

 “Trata-se de um processo diferente do passado, renovado, estendido a todo o povo de Deus, com a particularidade de que o seu objeto – a Sinodalidade – pretende ser também o seu método”, disse o diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, Matteo Bruni, ao apresentar os palestrantes.

O Cardeal Mario Grech, Secretário-Geral do Sínodo dos Bispos, recordou como preparar-se para viver este acontecimento. Os dois momentos de abertura serão uma celebração litúrgica na qual o Espírito Santo será o protagonista: “Um Sínodo se celebra e não se reduz a um evento de assembleia. (…) Um Sínodo não pode ser compreendido senão na presença da ação e da luz do Espírito Santo que guia a Igreja no seu caminho na história”.

Ele apresentou os dois ícones bíblicos, que contêm alguns princípios-chave do Sínodo:

  • Jesus, a multidão, os apóstolos: “O Sínodo é um caminho de discipulado, de seguimento. É uma aproximação progressiva ao Senhor, entrando cada vez mais na lógica do Evangelho”.
  • Pedro e Cornélio (Atos 10): é o caminho do discernimento que abalou os alicerces da Igreja primitiva e encontrará soluções no Concílio de Jerusalém. “Tudo se entende somente em obediência ao Espírito Santo. (…) O Sínodo terá êxito ou fracassará na medida em que confiarmos ao Espírito as nossas escolhas e processos”.

O Cardeal destacou a importância da primeira fase, que valoriza a contribuição do povo de Deus: “o caminho começa com a consulta do povo de Deus nas Igrejas particulares, porque é a partir das Igrejas particulares que existe uma e única Igreja Católica”(Cf Lumen Gentium).

Em seguida, retomou as palavras do Papa Francisco para enfatizar o aspecto da escuta: “Uma Igreja sinodal é uma Igreja da escuta, na consciência de que escutar “é mais do que ouvir”. É uma escuta recíproca em que todos têm algo a aprender. Pessoas fiéis, Colégio Episcopal, Bispo de Roma: um ouvindo o outro; e todos em escuta do Espírito Santo, “Espírito da verdade” (Jo 14,17), para saber o que Ele «diz às Igrejas» (Ap 2,7). (Discurso por ocasião da comemoração do 50º aniversário da criação do Sínodo dos Bispos).

O Card. Grech concluiu a sua intervenção dizendo: “O que pretendíamos fazer ao preparar o caminho é colocar a Igreja em condições de viver uma autêntica experiência sinodal, um tempo de escuta em que todos aprendamos um estilo de Igreja sinodal, na qual assumimos a escolha que mais vale a pena: caminhar juntos”.

“O Sínodo manifesta a vitalidade da Igreja: inclusiva, participativa e orientada para a evangelização”, continuou Dom Luis Marín de San Martín, Subsecretário do Sínodo dos Bispos, “devemos ter presente que esta fase diocesana já é um Sínodo, não apenas preparação para o Sínodo”.

Cada Bispo será responsável pela organização desta fase na sua Diocese (Igreja particular), traçando um programa e um calendário, cuidando do dinamismo do processo e, sobretudo, da dimensão da oração, como evento essencialmente espiritual. Estará aberto à colaboração e nomeará uma pessoa de contato e uma equipe para a sinodalidade.

O Arcebispo Marín definiu o Sínodo “uma experiência eclesial alegre e renovadora”, na qual caminhamos juntos guiados por quatro palavras-chave: coerência, entusiasmo, criatividade e coragem.

Para acompanhar a organização dos trabalhos, o Secretariado Geral preparou um Documento Preparatório e um Vademecum metodológico, enviado para divulgação ao povo de Deus, como instrumentos a serem utilizados e implementados de acordo com as diferentes realidades e culturas.

O Documento Preparatório se abre com uma pergunta de fundo, que impulsiona e orienta toda a reflexão: “como se realiza hoje, em diversos níveis (do local ao universal) o “caminhar juntos” que permite à Igreja anunciar o Evangelho, em conformidade com a missão que lhe foi confiada; e que passos o Espírito nos convida a dar para crescer como Igreja sinodal?”.

É uma pergunta que pede à Igreja e ao povo de Deus que permaneçam abertos às surpresas que o Espírito não deixará de dar ao longo do caminho, para poder colher os frutos de uma conversão sinodal.

Os materiais podem ser baixados e disponibilizados no site synod.va, que também oferece alguns recursos para o aprofundamento do tema da sinodalidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.