Manaus (Brasil). A partir de 4 de agosto de 2022, Ir. Maria Carmelita de Lima Conceição, Inspetora da Inspetoria (BRM), é oficialmente uma das Vice-Presidentes da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), a Rede dos Bispos que coordena as atividades de Dioceses, Congregações Religiosas, Associações e ONGs católicas na região amazônica.

Após um intenso processo de consulta ocorrido em maio e junho de 2022, a Presidência da REPAM, presidida pelo Cardeal Pedro Barreto, em 19 de julho de 2022 reuniu-se virtualmente com os Presidentes da Organizações fundadoras da Rede, para definir a nova Presidência.

Foi nomeado novo Presidente da Rede Dom Rafael Cob García, Bispo do Vicariato de Puyo (Equador), já vice-presidente. Foi aprovada uma nova configuração, com três Vice-Presidentes, sendo duas mulheres: Irmã Maria Carmelita de Lima Conceição, FMA, a indígena peruana Yessica Patiachi e Dom David Martinez de Aguirre, Bispo do Vicariato de Puerto Maldonado, no Peru.

Irmã María Carmelita colaborou no Conselho de Administração da Conferência dos Religiosos do Brasil – Regional Amazonas/Roraima no triênio 2009-2012.  Em 2019 participou do Sínodo da Amazônia como auditora e em 2021 foi nomeada Conselheira da Presidência da REPAM.

Entrevistada, ela expressou a alegria pelo reconhecimento dos papéis de liderança feminina na sociedade e na Igreja, em particular no que diz respeito à identidade própria da REPAM, como rede que se une a outras redes centradas na evangelização da Amazônia e na defesa da vida.

A nova composição da Presidência – segundo Irmã Carmelita – destaca que “procuramos construir uma Igreja com rosto amazônico que ultrapasse fronteiras, uma forma de valorizar cada presença, na representação dos povos nativos, da vida consagrada e do testemunho pastoral de Dom Rafael Cob e de Dom David Martinez, ambos com uma vasta experiência desde as origens da REPAM (Fonte: REPAM).

À Irmã Carmelita o augúrio de que seja, neste novo chamado, profecia de presença para os povos da Amazônia, testemunhando a beleza do carisma salesiano no feminino, caracterizado por uma proposta educativa integral que envolve pessoas, instituições e ambientes, colocando em sinergia recursos e competências, para ser geradoras de vida nova.

“Apreciamos a função da mulher, reconhecendo seu papel fundamental na formação e continuidade das culturas, na espiritualidade, nas comunidades e nas famílias. É necessário que ela assuma com maior força a sua liderança no seio da Igreja e que a Igreja reconheça isso e a promova, fortalecendo sua participação nos conselhos pastorais das paróquias e dioceses, bem como nas instâncias de governo” (Documento final do Sínodo da Amazônia, 101).

2 COMENTÁRIOS

  1. siamo felici per questa nuova responsabilitá della nostra Ispettrice in questa Grande e immansa Amazonia con tanti problemi e sfide , Maria la benedica in questo nuovo cammino Lei va davanti e aiterá tutto il gruppo a difendere i diritti dei nostri fratelli specialmente i gruppi indigeni Parabens Maria te guie..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.