Roma (Itália) Em 24 de agosto de 2020, a Conselheira geral para a Pastoral Juvenil, Irmã Runita Borja, animou a vídeo conferência com as Coordenadoras das Obras para Jovens em risco (Youth at Risk – YaR) das sete Inspetorias da Conferência Interinspetorial da Índia (PCI), sobre o tema: “A pandemia de COVID-19 está dando nova forma à missão das FMA. Quaís passos para as FMA da Índia para uma visão de futuro para os/as jovens em risco?”                                                              

O objetivo do encontro online foi fortalecer a comunhão entre as Filhas de Maria Auxiliadora da Conferência PCI empenhada em favor das crianças, dos jovens e das mulheres em situação de risco e compartilhar as experiências sobre como a pandemia de Covid-19 está remodelando esta missão.

Um fator de risco é tudo aquilo que aumenta a probabilidade de uma pessoa sofrer danos, enquanto um fator de proteção é algo que reduz o possível efeito prejudicial de um fator de risco. A classificação de “jovens em risco”, portanto, leva ao compromisso de proteger e apoiar os jovens na transição para a idade adulta, acompanhando-os no seu desenvolvimento integral, através da elaboração de políticas e projetos voltados para esse fim.

Na mensagem de abertura, Irmã Runita Borja destacou a importância de reconhecer os desafios e oportunidades que se apresentam neste tempo de pandemia e de enfrentar, por meio do discernimento, as demandas dos mais pobres e vulneráveis, com os quais Jesus se identifica: “Na verdade eu te digo: todas as vezes que fizestes estas coisas a um dos meus menores irmãos, a mim o fizestes” (Mt 25,40).

Irmã Runita concluiu o seu discurso retomando as palavras proferidas pelo Papa Francisco durante o Ângelus de 23 de agosto de 2020 que, ao realizar obras de solidariedade, nos convida a colocar Jesus ao centro:

 “É indispensável e louvável que a pastoral de nossas comunidades esteja aberta às muitas misérias e emergências que estão por toda parte. A caridade é sempre a via principal do caminho da fé, da perfeição da fé. Mas é necessário que as obras de solidariedade, as obras de caridade que fazemos, não se desviem do contato com o Senhor Jesus: a caridade cristã não é simples filantropia, mas, por um lado, é olhar o outro com os próprios olhos de Jesus. e, por outro lado, é ver Jesus no rosto dos pobres ”.

O encontro online continuou com a apresentação, por parte dos representantes do grupo YaR – Jovens em Risco, do trabalho que as FMA estão realizando, em colaboração com profissionais dos diversos setores educativos, para chegar aos menos considerados pela sociedade, protegê-los em seus direitos e oferecer-lhes a possibilidade de educação e formação, para que possam enfrentar o futuro com dignidade e esperança.

Das intervenções das participantes emergiu a paixão das FMA e dos leigos pelo trabalho com os jovens em risco e também a responsabilidade de acolhê-los com suas histórias e apoiá-los, de levá-los a viver plenamente suas vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.