Roma (Itália).  Nestes dias, dedicados aos trabalhos de elaboração do Documento Capitular, reflexões e mensagens continuam a enriquecer o caminho em sinodalidade empreendido pelas Capitulares.

Ir. Margaret Devadoss, delegada da Inspetoria S. Tomás Apóstolo, Madras (INM): «Venho da Índia, terra de multíplices e diversos contextos, ciente do profundo significado deste tema.  Como disse o Papa Francisco, o que é necessário hoje não é a unanimidade ou a uniformidade, porque a verdadeira unidade está na riqueza da diversidade.  Portanto, o que torna este capítulo tão único é que a sinodalidade/”Unidade na diversidade” é vivida no quotidiano, independentemente das diferenças culturais, geográficas, linguísticas e sociais dos seus membros.

Duas características importantes da sinodalidade são a colegialidade e a corresponsabilidade.  Uma vida autêntica requer escuta sinodal, discernimento e caminhar juntas como comunidades proféticas missionárias;  tecer relações autênticas, promover a comunhão e despertar esperança e alegria na vida de todos, especialmente dos jovens.  Isso é mudança, um caminho integral e radical, pessoal e coletivo. Jesus e Maria como modelos de sinodalidade acompanhem o caminho sinodal ”.

Video-Intervista

Ir. Marta Liliana Riccioli, Inspetora da Inspetoria São Francisco Xavier, Bahia Blanca (ABB), eleita no CG XXIV Conselheira Visitadora: “É um tempo de abertura, escuta e docilidade ao Espírito Santo e, como Maria, nos deixamos interpelar pelos desafios do mundo contemporâneo.  Na fidelidade aos apelos de Deus nesta realidade, recria-se a audácia missionária que traz ao Instituto o frescor das origens missionárias, para gerar vida abundante e Vida para todos.

As chaves da sinodalidade e da profecia dão ritmo a nossos passos, impelem-nos a fazer escolhas essenciais e audazes, conduzem-nos à comunhão com outros carismas, a viver itinerantes “em saída preventiva” itinerantes para as fronteiras onde a vida dos jovens mais pobres grita “ajuda””.

Video-Intervista

Maria Carmen Castillo, Presidente da Confederação Mundial Mornese das Ex-Alunas e Ex-Alunos das Filhas de Maria Auxiliadora, escreve às Capitulares: «Duas palavras me vêm à mente: perseverança e constância.  Estar presentes e acompanhar a vida das crianças, dos jovens, das famílias e, naturalmente, das/dos ex-alunas/os, como Maria nas bodas de Caná, sempre atenta aos seus gestos e palavras, para intuir o que pode dar plenitude e felicidade à sua vida.  Como Maria “estar”.

Estar presentes e acompanhar, porque o futuro da Igreja e da sociedade define-se com uma palavra sinodalidade.  Os desafios são tão grandes que só unindo as forças (consagrados, leigos, famílias, crentes e não crentes) podemos assegurar um futuro para as novas gerações, como diz o Papa Francisco: ninguém constrói o futuro isolando-se”.

1 COMENTÁRIO

  1. obrigada Senhor pela existência do nosso INSTITUTO quero agradecer com a minha fidelidade coerente no testemunho de ser uma FMA feliz no meio da juventude
    obrigada Maria mãe AUXILIADORA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.