América.  Nos dias 7 e 8 de maio de 2021 aconteceu o encontro anual da SepSur Setor Escolar, para as responsáveis das Filhas de Maria Auxiliadora da Conferência Interinspetorial do Cone Sul da América Latina – CICSAL e dos Salesianos de Dom Bosco de Região CONESUR.  O objetivo do encontro online foi compartilhar a riqueza da missão entre religiosos e leigos, para revitalizar a presença das FMA e dos SDB nas obras da Inspetoria.

No encontro, dirigido às responsáveis da Escola e da Pastoral Juvenil das Inspetorias da Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, estavam presentes Irmã Ivone Goulart, colaboradora do Âmbito da Pastoral Juvenil e Referente da Escola Salesiana para a América das FMA e Pe. Cláudio Cartes, do Dicastério da Pastoral Juvenil SDB e Referente da Escola Salesiana América (ESA).

Na saudação, Irmã Ivone e Pe. Cláudio convidaram os participantes a valorizar o encontro como oportunidade de aprofundamento, em tempo de pandemia, recordando a intuição de Dom Bosco de que a missão de educar os jovens não pode ser uma ação restrita a um pequeno grupo de pessoas.  A missão educativa implica a Coordenação para a Comunhão como estilo de animação (LOME 10, FMA) na Igreja, onde religiosos e leigos atuam em sinodalidade, compartilhando uma missão e um projeto comum. A educação e a evangelização acontecem numa comunidade educativa.

Irmã Patrícia Parraguez, representante da Comissão Central ESA apresentou o planejamento estratégico para o triênio 2021-2023, organizado em 1 4 eixos, com 3 linhas de ação e 2 atividades específicas para cada um deles.  Ainda mais, partilhou alguns resultados da pesquisa de 2020 destinada a 300 Diretores da Região, para detectar como são administradas as Escolas nos diversos Países, a respeito das competências da gestão definidas pelos responsáveis ​​da Região Escolar SepSur.

O Pe. Rafael Bejarano, SDB do Dicastério para a PJ, falou sobre a missão compartilhada entre religiosos e leigos e sobre os desafios que apresenta.  O modelo pedagógico de Dom Bosco baseava-se nas pessoas e na riqueza das relações.  Isto requer inculturar o Sistema Preventivo nos contextos educativos pastorais, discernindo juntos os caminhos que hoje se exigem das obras salesianas, para dar uma resposta significativa, identificando as necessidades formativas das pessoas e valorizando o processo de avaliação que permite acompanhar constantemente a missão e os seus desafios.

A partir dos documentos da Igreja, Ir. Laura Guisado, FMA da Inspetoria uruguaia Imaculada Conceição (URU), contextualizou o desenvolvimento da missão compartilhada, sublinhando a necessidade de fortalecer a identidade, a vocação e o crescimento na fé, dando espaço à formação compartilhada, para a geração de vínculos fecundados pela comunhão da diversidade.

O trabalho em grupo, coordenado por Rossanna Benitez, referente à SepSur Setor Escolar para os Salesianos de Dom Bosco, e por Ir. Myriam Celeste Benitez, referente à CICSAL, introduziu-se através de vídeos de religiosos e leigos que responderam a algumas perguntas: O que é mais apreciado no trabalho conjunto de religiosos e  leigos?  Que desafios temos pela frente neste caminho?  O que se sonha para a missão compartilhada?  Como enriquecer as relações e o caminho entre religiosos e leigos na missão educativa?  Os participantes foram divididos em quatro salas virtuais para refletir, compartilhar e responder às perguntas.

Os Delegados SDB e FMA da Pastoral Juvenil da da SepSur apresentaram o Livrinho de Pastoral Juvenil n° 43, cujo tema é “Juventude e sinodalidade, com e a partir deles. Sonhos e desafios de uma pastoral juvenil no Cone Sul”.

Irmã Sarah Garcia, FMA, colaboradora do Âmbito da PJ e Referente do Escritório de Direitos Humanos (IIMA) de Genebra, apresentou o projeto de implantação de uma rede de jovens em defesa dos direitos humanos. Guillermo Gutiérrez, da Inspetoria uruguaiana FMA, coordenará a formação a respeito desta proposta.

Irmã Ivone e Pe. Cláudio apresentaram a Carta de Identidade das Escolas Salesianas, elaborada pela Comissão Central ESA, no seguimento do IV Encontro Continental da ESA, realizado em 2017 em Medelín, Colômbia.

Investir na educação e contribuir à paz no mundo, para a construção de Sociedades mais justas e solidárias: “em colaboração com a família, outros sujeitos responsáveis ​​pela educação são a escola e a universidade (…).  São chamados a promover um sistema de valores fundado no reconhecimento da dignidade de cada pessoa, de cada comunidade linguística, étnica e religiosa, de cada povo e dos direitos fundamentais que dela decorrem.  A educação constitui um dos pilares de sociedades mais justas e solidárias” (Mensagem para o 54° Dia Mundial da Paz).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.