Roma (Itália). Ir. Anna Peron, Filha de Maria Auxiliadora da Inspetoria Triveneta S. Maria Domingas Mazzarello (ITV), em 6 de junho de 2020, concluiu o seu percurso de estudo na Pontifícia Faculdade de Ciências da Educação “Auxilium” de Roma com a tese de Doutorado em Pedagogia e Didática da Religião com o título: O Professor de Religião na Itália. Evolução histórica do seu perfil profissional e linhas para a formação inicial e em serviço, hoje.

A tese é o resultado de uma pesquisa sobre o Perfil do professor de Religião (IdR) na Itália e sobre sua formação, do final do século XIX até hoje. O ensino da Religião Católica (IRC) sempre foi objeto de atenção tanto pelo Estado como pela Igreja italiana, que, com diferentes responsabilidades e também superando momentos institucionais críticos, ao longo dos anos, garantiu à disciplina as condições de serviço adequadas para inclusão efetiva na Escola Italiana.

A primeira parte da pesquisa é dedicada ao estudo do perfil do IdR de acordo com uma abordagem histórica e institucional, tomando como referência a revisão do Acordo assinado entre a República Italiana e a Santa Sé em 1984. Foram examinadas as quatro investigações empíricas, conduzidas pela Pontifícia Universidade Salesiana de Roma e colaboradores, para entender como foi progressivamente percebido o profissionalismo do IDR pelos próprios atores do IRC (professores, pais, alunos).

A segunda parte informa o relatório de uma pesquisa empírica realizada em uma amostra de crianças e professores da Escola Secundária do ensino médio no território de Roma, onde a hora da religião assume um valor específico pelo conteúdo que transmite e pelo fato de que, ao contrário das escolas das séries anteriores, os alunos escolhem se devem ou não frequentar o IRC.

Uma parte final é dedicada a alguns projetos de treinamento já em andamento, principalmente na Itália, e para delinear algumas linhas de treinamento para o IdR em serviço.

A pesquisa destaca a relação entre a percepção que o adolescente tem sobre as habilidades de seu professor de religião e a experiência que o professor tem de seu profissionalismo. As perguntas que surgem são: O que leva os jovens, especialmente os adolescentes, a aproveitar o IRC, por ser uma matéria facultativa? O que é apreciado pelo IRC e qual o impacto que a figura do IDR tem na escolha de fazer uso da disciplina?

A tese reforça a centralidade do aluno no contexto da complexa realidade da escola como local educacional, que desafia a relação entre gerações, em um terreno delicado como o do diálogo entre jovens e religião. O estudo do perfil do professor de Religião apresenta um professor com o olhar do educador, que reconhece na história os sinais religiosos e culturais que valorizam a vida do homem de hoje e que sabe captar nos olhos e na voz dos alunos o grito existencial que só pode ser ouvido em alguns ambientes hoje. Um desses ambientes é sem dúvida a escola, onde o IRC encontra um espaço privilegiado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.