rpt

Torre Annunziata (Itália). Neste tempo de emergência global por causa do Covid-19, não obstante a fragilidade, a impotência, o temor, multiplicam-se os testemunhos e as expressões de solidariedade sinal de grande humanidade e proximidade. Enquanto nos hospitais se luta desesperadamente para manter em vida quanto mais pessoas possível, são tantos, exortados a permanecer em casa para não colocar em risco a vida do próximo além da própria, a contar a importância de um relacionamento reencontrado, ou a maravilha de se descobrir hábil em determinadas atividades, procurando reencontrar as forças físicas e psicológicas para reinventar-se e administrar um cotidiano que se transformou de repente.

A Comunidade das Filhas de Maria Auxiliadora do Instituto Sta. Maria D.Mazzarello de Torre Anunciata (Nápolis), pertencente à Inspetoria Meridional N.Sra. do Bom Conselho (IMR), composta por 45 membros cuja idade média é de cerca 85 anos, sentiu ainda mais forte a necessidade de cuidar desta idade frágil, fraca, vulnerável como vasos de argila, protegendo o mais possível a saúde de todas.

O trabalho das FMA “com mais força” e do pessoal seguramente aumentou, pela reponsabilidade que comporta a adoção contínua de precauções e medidas de prevenção, além do esforço de assegurar o cuidado espiritual e os momentos de fraternidade com as “devidas distâncias”.

Na realidade, a condição de vulnerabilidade é comum e se descobre que sentir-se vulnerável afasta da autorreferencialidade, da soberba, da tentação de não olhar no rosto a realidade, de não sentir-se argila, fazendo finalmente espaço ao poder de Deus que salva.

As FMA de Torre Anunciata tornam própria a expressão comum destes dias “Irá tudo bem” que as sustenta neste caminho, na certeza de estar sob a proteção da Auxiliadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.