(Palestina). Em 4 de novembro de 2021, na Universidade de Belém, na Palestina, foi realizado o Seminário “Deir Beit Gamal: Patrimônio, Compromisso Comunitário e Pesquisa” com o objetivo de introduzir a história da Casa dos Salesianos de Dom Bosco São José de Betgamāl, em Israel, da Inspetoria do Médio Oriente Jesus Adolescente (MOR), onde viveu e exerceu o serviço de enfermagem o Venerável Simão (Sim’ān) Srugi, coadjutor SDB.

Nasceu em Nazaré, em 15 de abril de 1877, a partir de 1900, apenas neoprofesso, esteve em Betgamāl, com vários cargos, entre os quais a clínica de enfermagem médica anexa à Casa Salesiana. De 1930 a 1942,  registrou com precisão os nomes dos pacientes, as patologias e os tratamentos, as aldeias de origem.

Foram conservados 8 Registros – o último está exposto no Museu Casa Dom Bosco de Torino-Valdocco – que documentam o atendimento diário de saúde a dezenas de enfermos (40-45 em média, para um total de mais de 30.000), provenientes de mais de 70 aldeias, até 60 km de distância.

O relator convidado, Prof. Giovanni Caputa, SDB da Comunidade Betgamāl, introduziu aspectos da história da Casa Salesiana e da obra do Venerável Srugi. Em particular, apresentou os documentos por ele escritos – os registros de medicamentos (1932-1942), os manuais e receitas utilizadas, os cadernos de anotações dos componentes dos medicamentos que ele preparou, as contas do ecônmo da Comunidade e a correspondência com médicos e benfeitores da clínica – que agora estão sendo estudados por pesquisadores.

Durante o Seminário, a Universidade de Belém lançou o projeto de um estudo interdisciplinar, do ponto de vista sociológico, médico-enfermagem, cultural, desse patrimônio arquivístico ainda inexplorado. As autoridades acadêmicas e religiosas que assistiram à apresentação encorajaram o projeto, cujos resultados irão tornar mais conhecido aquele período histórico na Palestina, e o papel que a Comunidade Salesiana de Betgamāl desempenhou naquela região, pobre e sofrendo de malária endêmica.

Entre os participantes, havia alguns descendentes dos seus pacientes, entre os quais ainda está viva a memória de Simão Srugi, “el doctòr”. Homem de profunda religiosidade, Srugi tinha uma delicadeza particular em cuidar da saúde física e da salvação eterna do próximo.

No seu trabalho com os enfermos, Simão Srugi não agia sozinho: era assistido pela Irmã Tersilla Ferrero (1893-1973), Filha de Maria Auxiliadora, enfermeira formada no hospital italiano de Damasco, e pelo Sr. Dikran Ciakmakgiàn, cooperador salesiano.

Nas notas biográficas lemos:

“Em 1930, a irmã Tersilla foi designada para a comunidade de Betgamāl, onde em 1937 começou a cumprir a tarefa de diretora. Nessa casa, que pertencia aos irmãos salesianos, Irmã Tersilla se viu trabalhando ao lado do enfermeiro coadjutor salesiano Simone Srugi. Sobre o enfermeiro Srugi se encontra esta anotação da Irmã Tersilla: “Aprendi com ele o que é a vida religiosa. Quem estava com ele era estimulado a viver da sua espiritualidade intensa, caso contrário teria se encontrado como um peixe fora d’água”. Por quinze anos a irmã Tersilla trabalhou naquela casa onde havia constante atividade e extrema pobreza. Viveu com alegria sua generosa doação, exercendo grande compreensão para com os camponeses árabes que vinham em massa ao dispensário farmacêutico carregados de enfermidades, miséria e parasitas. Eles sabiam que ali havia um “santo” que podia curar e também uma “mãe” que supria suas necessidades. Esses pobres preferiam caminhar horas e horas para chegar àquela casa onde “o senhor Srugi e a freira usavam de boas maneiras e cuidavam deles” (Façamos Memória, notas biográficas das FMA falecidas em 1973, p. 158- 159).

O Diretor do Departamento de Humanidades da Universidade de Belém, um muçulmano, observa: “Somos todos religiosos, porque acreditamos em Deus, rezamos …, mas a verdadeira religião se mostra com fatos. Mu’allem (o professor) Srugi é um modelo!”.

1 COMENTÁRIO

  1. Ringrazio per questa bella presentazione che, oltre a offrire informazioni generali sull’opera che SDB ed FMA svolsero a Betgamal per decenni a favore dei poveri e ammalati, evidenzia il contributo di Suor Tersilla Ferrero, non solo competente infermiera professionale, ma vera “sorella spirituale” di Simone Srugi. Vi terrò aggiornate sugli sviluppi dell’iniziativa avviata con l’Università di Betlemme. In comunione. Don Gianni Caputa SDB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.