Roma, (Itália).  Por ocasião da memória litúrgica de São Francisco de Sales, em 24 de janeiro de 2021, o Papa Francisco anuncia a Mensagem para o 55º Dia Mundial das Comunicações (DCMS), que se celebrará em maio de 2021:

“Vinde e vede” (Jo 1,  46).  Comunicar encontrando as pessoas onde estão e como são.

A Mensagem está em continuidade com a anterior – “Para que possas contar e fixar na memória” (Ex 10,2).  A vida se faz história – porque, afirma o Papa, “para contar a verdade da vida que se faz história é necessário sair da confortável presunção do ‘já conhecido’ e pôr-se em movimento.

Este dinamismo parte do convite Vinde e vede  (Jo 1, 46), que Filipe dirige a Natanael, que o Papa define como “método de toda autêntica comunicação humana”, eficaz boca a boca que se põe a caminho da busca da Verdade e maneira com a qual a fé foi comunicada desde o tempo de Jesus  até hoje.

“Vir e ver” é o chamado a uma comunicação límpida e honesta, que sabe interpretar a verdade dos fatos e das pessoas, sem se contentar com uma informação pré-concebida, “palaciana”, auto-referencial.

Na Mensagem, o Papa Francisco fala da profissão do jornalista que, movido pela paixão e pelo desejo de ver e de contar a realidade, tem a coragem de ir aonde ninguém vai, de chamar a atenção para situações difíceis que ficariam esquecidas. Para fazer isso, como o pastor deve sentir o “cheiro das ovelhas”, o jornalista deve “gastar as solas dos sapatos”: descer à rua para verificar pessoalmente, estar com as pessoas, escutar as testemunhas e recolher detalhes “do dia-a-dia” que deem credibilidade às notícias.

Não falta a atenção às “ferramentas da profissão”: as redes sociais, que multiplicam as possibilidades de partilha, a tecnologia digital que garante a pontualidade, a rede, instrumento formidável para chegar às pessoas.  Mas uma informação gerada nas redações, diante de um computador, não basta: “Todo instrumento só é útil e precioso se nos impulsiona a ir e ver coisas que de outra forma não saberíamos, se coloca, na rede, conhecimentos que de outra forma não circulariam, se permite encontros  que, de outra forma, não aconteceriam”.

O “Vinde e vede” descrito pelo Papa não é apenas para profissionais – jornalistas, cinegrafistas, editores, diretores – é um método para todos, porque é de todos a responsabilidade pelo que se comunica, se verifica e se partilha das informações: «Todos somos chamados a ser testemunhas da verdade: a ir, ver e condividir».

Lendo a Mensagem, volta à mente o testemunho de São Francisco de Sales (1567-1622) – não por acaso padroeiro dos jornalistas – com a missão corajosa e apaixonada de Bispo de Genebra (Suíça), a pregação marcada pelo diálogo na região do Chiablese, dominada pelo calvinismo, e acima de tudo pelo método inovador dos “folhetos” inseridos sob a porta das casas dos fiéis, maneira como tornava acessíveis as verdades da fé com uma linguagem próxima das pessoas.

São Francisco de Sales, inspirador da obra de Dom Bosco e patrono do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, entra naquela “cadeia  de encontros” que há mais de dois mil anos comunica o fascínio da aventura cristã, uma corrente que chama  todos quantos leem a Mensagem para acolher o desafio proposto na conclusão: “O desafio que nos espera é, portanto, o de comunicar encontrando as pessoas onde estão e como são”.

Mensagem para o 55° Dia Mundial das Comunicações Sociais

2 COMENTÁRIOS

  1. Genial!!! El Papa Francisco siempre va varios pasos adelantado, en cuestión de valorizar las experiencias humanas, cómo lugar de encuentro con Dios. Gracias!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.