Veyrier (Suiça). No dia 12 de dezembro de 2019, com a presença da Inspetora da Inspetoria Lombarada Sagrada Família (ILO), Ir.Maria Teresa Cocco e do Conselho Inspetorial, celebrou-se o Centenário da presença (1919-2019) das Filhas de Maria Auxiliadora em Veyrier na Suiça.

Chiesa Ginevra S.Messa centenario di presenza FMA

A Celebração Eucarística na Igreja de São Paulo em Genebra, presidida pelo Bispo de Losanna, Genebra e Friburgo, Dom Charles Morerod, o Bispo Emérito Dom Pierre Farine e alguns sacerdotes concelebrantes, animada pelos alunos da Escola Infantil e Primária La Salésienne e com a presença de muitos pais e benfeitores da obra, encerrou o ano dos festejos.

Antes do início da Celebração, a Inspetora, Ir.Maria Teresa Cocco, deu as boas vindas aos presentes, manifestando o reconhecimento às Autoridades civis, ao Bispo e aos concelebrantes, à Comissão de La Salésienne e a toda a Comunidade Educativa. Suas palavras foram acompanhadas pelo gesto de um garotinho que depositou aos pés do altar um vaso contendo a terra de Genebra: «Obrigada pelo Sim de nossas primeiras missionárias, chegadas aqui em 1919, vindas de suas cidades para cuidar dos filhos dos imigrantes italianos em Genebra. Ir.Luisa, Ir.Jeanne, Ir. Marie e Ir. Ida, transmitiram o carisma salesiano vivendo no cotidiano o espírito de família, tão caro a Dom Bosco, fazendo de sua moradia uma casa que acolhe, que educa e que evangeliza. Em cem anos de presença educativa, em Genebra, milhares de corações e de mentes se abriram para servir melhor, no mundo contemporâneo, Deus e os irmãos, e ser na sociedade elementos de paz, de solidariedade, de fraternidade e de justiça».

A Madre Geral das FMA, Ir. Yvonne Reungoat, fez-se presente com uma mensagem enviada à Diretora, Ir.Lucia Corbetta e à Comunidade, animando-as a continuar na missão em um renovado caminho de santidade.

«Dirijo-lhes o augúrio de que, em plena sinergia com quantos têm no coração o crescimento humano e cristão dos jovens, especialmente daqueles que estão na pobreza ou em dificuldades, vocês possam escrever uma nova, maravilhosa página de história, uma página de Evangelho vivo, reflexo da comunidade de vocês. Que vocês tenham uma presença que gera vida e irradia esperança, para que as crianças, os jovens aos quais vocês oferecem oportunidades educativas, formativas e de voluntariado, e toda outra pessoa que compartilhe a missão de vocês, possam olhar o futuro com confiança e os jovens mesmos se tornem construtores responsáveis de uma nova humanidade. (…) Entrego a Maria Auxiliadora o presente e o futuro de vocês, para que a comunidade continue a ser terreno fértil para a missão educacional e para o anúncio do Evangelho de Jesus neste tempo de interessantes e inéditas possibilidades. Está entregue a vocês uma preciosa herança de 100 anos de história. Estou certa de que vocês têm o coração aberto para acolhê-la, desenvolvê-la e honrá-la com seu testemunho de vida».

O ano do Centenário tinha-se aberto no dia 31 de janeiro de 2019, na solenidade de Dom Bosco, com a Celebração Eucarística com toda a Comunidade Educativa. No mês de abril de 2019 houve um concerto aberto a todos, com o tema da gratidão, do conhecido cantor e compositor belga Théo Mertens, no qual os alunos do último ano cantaram e realizaram pequenos vídeos, apresentados em seguida a toda a escola. Para aprofundar o carisma salesiano, no dia 14 de setembro de 2019, dois ônibus de famílias da escola foram em peregrinação ao Colle Dom Bosco em Morialdo, distrito de Castelnuovo Dom Bosco, na província de Asti (AT), lugar do nascimento de Dom Bosco. Todas as iniciativas foram realizadas graças à colaboração dos leigos e da Comissão de La Salésienne.

FMA alla S.Messa nella chiesa di Saint Paul a Ginevra per il centenario di presenza

Narrativa das principais etapas históricas da Casa de Veyrier

Numa fria tarde de inverno, em 11 de dezembro de 1919, quatro Irmãs Salesianas FMA, Ir.Luisa Gattiglia e Ir.Ida Patrucco (italianas), Ir.Jeanne Pietruszka (polonesa) e Ir.Marie Schwind (francesa), chegaram em Genebra, chamadas pela Srta. Paola Goria, Fundadora da Missão Católica Italiana, para cuidarem  dos filhos dos imigrantes italianos, numerosos na época.

As Irmãs, provenientes de Turim, foram mandadas pela Superiora Geral, Madre Caterina Daghero.  Na ocasião a missão fazia parte da Inspetoria Francesa Sagrado Coração. A crônica daquele ano informa que as irmãs tiveram 12 horas de espera na fronteira por causa dos passaportes e chegaram a Genebra cheias de frio e de fome.

No dia seguinte, a Srta. Goria preparou para elas as atividades a serem realizadas: ocupar-se das crianças e dos imigrantes italianos, do catecismo na paróquia, do oratório, obra tipicamente salesiana, da qual toda a comunidade participava, das conferências às senhoras.

A casa, todavia, se tornava pequena pela afluência das crianças, sendo necessário mudar para a Rue de la Servette em Genebra. As crianças continuavam em constante aumento.

É o período triste da guerra.  A Suiça, país neutro, foi cercada. Na estação ferroviária foi criado, de propósito, um escritório para entregar o material do correio aos países em guerra. As irmãs tiveram também a tarefa de providenciar as remessas do correio e fazê-las chegar às Superioras em Turim, para dar notícias aos familiares distantes.

Em 1945 a casa onde moram é posta à venda, elas têm três meses para procurar outra habitação:

encontram uma solução no nº 48 Rte de Meyrin. A casa ainda precisa se tornar habitável, por sorte um vizinho lhes aluga duas salas que fazem papel de classes. Nesse período recebem a visita do Superior Pietro Berruti que vê as dificuldades delas e as encoraja a continuar levando avante a missão educativa entre a juventude genebrina.

No dia 4 de janeiro de 1951, as irmãs chegam a Veyrier com algumas internas, para se estabelecerem ali. A casa é muito pobre, falta tudo, mas podem acolher um número maior de crianças de ambos os sexos. Rapidamente o número dos alunos aumenta: a maioria de famílias imigradas, algumas vezes sem direitos, famílias monoparentais ou com divórcio encaminhado e precisam colocar os filhos na segurança de um pensionato. A decisão é construir uma escola prefabricada e deixar a casa para o pensionato.

Em 1966 a nova escola abre as portas na presença de autoridades civis e religiosas e toma o nome “La Salésienne”.

A partir desse momento aumenta velozmente o número dos alunos, as FMA vão ao encontro de tantas situações difíceis de necessidades e pobreza material e moral. Durante o verão recebem as jovens que aprendem francês.

Em 1991 constroi-se o ginásio de esportes, adaptado às exigências da pedagogia do tempo. Uma grande festa organizada por uma Comissão promotora e o dono da vila de uma Benfeitora italiana, assumem uma grande parte do custo.

Em 2011, a Fundação de ROLEX, Hans Wilsdorf, concede uma forte contribuição para a construção de uma Escola Primária grande, luminosa e espaçosa. Em 2017 surge uma Escola Materna com o novo refeitório e a moderna cozinha.  É ainda a Fundação Hans Wilsdorf  a garantir uma boa parte da despesa.

Hoje os alunos que se preparam para serem «boas pessoas de fé e honestos cidadãos» são cerca de 400, de todas as classes sociais e de diversas proveniências e religiões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.