Roma, (Itália).  A Madre Geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, Irmã Yvonne Reungoat, dedica a Circular mensal nº 1001 ao tema da Fidelidade e exorta ao compromisso de “contagiar” a alegria da Aliança de amor com Deus que é o  essencial da Vida Consagrada.

«A fidelidade é a expressão do amor gratuito de Deus e é uma experiência íntima e profunda que nos impulsiona a dar uma resposta total e exclusiva, consagrando-nos a Ele para sempre. A fidelidade torna-se um estilo de vida expresso na alegria, que nos torna disponíveis a abraçar com fé as exigências do Mistério Pascal, com renovada esperança, na certeza de que o sim para sempre encontra, aqui, sentido e luminosidade”.

Permanecei no meu amor (Jo 15,9), é o pedido que Jesus faz aos seus discípulos durante a última ceia.  Permanecei!  Aqui reside a força da vocação do consagrado: corresponder ao amor da aliança e aderir ao estilo de Cristo, na escuta dócil da sua Palavra (cf. Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, O dom da fidelidade. A alegria da perseverança. ORIENTAÇÕES, Ed. Vaticana 2020)

A fidelidade de Deus é a nossa “rocha”

A fidelidade de Deus é expressão da sua paterna bondade: Ele sabe esperar com paciência e não deixa de amar.  Deus, no seu projeto salvífico, pede que demos tudo de nós: mente e coração, vontade, decisão e disponibilidade em dizer-lhe o nosso “sim”, e o faz com segura confiança de que, apesar das nossas fragilidades, queremos ser fiéis a Ele por  amor.  É neste encontro entre a sua fidelidade e a nossa que se abre o caminho da fecundidade diante de nós e é aqui que reside a verdadeira felicidade que todas desejamos.

Fidelidade: dom a compartilhar

O 10° artigo das Constituições das FMA diz respeito à profissão de fidelidade a Deus: é como retornar ao primeiro amor, redescobrir o que nos fez responder “sim” ao chamado de Jesus e viver em plenitude de amor, como Dom Bosco e Madre Mazzarello fizeram. É este amor que nos torna corajosas testemunhas, empreendedoras missionárias de esperança, num momento histórico marcado pela incerteza, fragilidade e precariedade pela Pandemia de Covid-19.

Fidelidade na missão

A alegria da fidelidade a Deus compartilhada em comunidade irradia-se na missão de trabalhar em rede com os jovens de hoje no espírito do da mihi animas cetera tolle e A ti as confio.  Como Comunidade Educativa, eduquemos ao anseio o coração das novas gerações, através da mística da proximidade, buscando o seu bem.  Juntos, adultos e jovens, em rede com a Igreja e as Instituições educativas, é possível encontrar o caminho certo, a linguagem adequada para deles “nos aproximarmos” “não como uma obrigação, não como um fardo que nos deixa esgotados, mas como uma escolha pessoal que nos enche de alegria e nos confere identidade” (Evangelii Gaudium, n ° 269).

A Madre, na conclusão da Circular: “Ser fieis à missão é a grande alegria que nos leva a anunciar, sem timidez e perplexidade, não só aos jovens, mas também entre nós  e às pessoas que encontramos, que, hoje: “Cristo vive. Ele é a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo” (Christus vivit, n ° 1).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.