Incontro formativo:

Turim (Itália).  “Está aqui um menino…”  é o tema do encontro de formação, organizado pela Conferência Interinspetorial Italiana (CII), para as FMA de 7 a 10 anos de profissão religiosa, realizado em Turim de 14 a 17 de fevereiro de 2019, com o objetivo de aprofundar a missão salesiana que põe no centro o jovem, para que, através de uma educação integral, tenha “pão, trabalho e Paraíso”. 

O encontro, do qual participaram 25 FMA das Inspetorias italianas, foi uma oportunidade de formação, de reflexão e de partilha através do confronto com a Palavra de Deus, a experiência apostólica de Dom Bosco e as orientações do Sínodo dos jovens, para compreender como traduzir na própria vida inteiramente doada ao Senhor o tema pastoral do ano “Eu sou uma missão para a vida dos outros”.

A lectio divina sobre o texto de João, da multiplicação dos pães ( Jo 6,1-15) dirigida por Pe. Stefano Mazzer, SDB, deixou clara a centralidade do jovem em nossa missão, não tanto como destinatário ou protagonista, mas como corresponsável da ação educativa e evangelizadora. Realmente, é o menino que oferece gratuitamente e com prontidão os pães e os peixes que Jesus vai multiplicar para todos os presentes. O convite é de prestar atenção, antes de tudo, ao que os meninos e os jovens das nossas casas trazem e nos oferecem com a própria vida e os recursos deles a serem empregados na ação pastoral educativa, partindo deles e caminhando com eles.

“Caminhar com os jovens” é um dos temas centrais da pastoral salesiana à luz da experiência sinodal, que Pe. Andrea Bozzolo, participante do Sínodo dos jovens na qualidade de especialista, apresentou em três palavras chaves que devem orientar a nossa missão: a vocação, o acompanhamento e a sinodalidade. A vida como vocação é a chave para ler antropologicamente a juventude e a ação pastoral.  Esta última deve objetivar a ajuda aos jovens para se colocarem as perguntas fundamentais: “Quem sou? Para quem sou?”  para descobrir-se dentro de um Chamado que faz da vida deles um dom e uma tarefa. Para que um jovem possa responder a essas perguntas de sentido e descobrir que ele, com seus talentos e sua história, é “uma missão para a vida dos outros” é necessário que cada educador, consagrado ou leigo, dedique tempo e coração no acompanhamento, no qual são fundamentais as duas atitudes da escuta empática e do respeito, ao lado da humilde disponibilidade de se deixar acompanhar para aprender de Jesus a arte do acompanhamento e a olhar a vida com os olhos de Deus.

As contribuições teológicas e pastorais sobre a missão foram enriquecidas por duas experiências itinerantes: a visita ao Sermig – Arsenal da Paz, no qual “o Bem bem feito” é possível através de um trabalho de rede, inspirado nos valores universais da fraternidade, da solidariedade e da paz; a visita dirigida por Pe. Enrico Lupano, SDB, aos lugares em que Dom Bosco iniciou sua obra para os jovens mais pobres – a rua-cárcere, o internato eclesiástico e o Refúgio da Marquesa de Barolo –  amadurecendo a ideia sempre atual de que é Deus quem leva à frente o Seu projeto de salvação também nas dificuldades e nas contrariedades.

A mensagem desta rica experiência é que o núcleo central da missão salesiana é a capacidade de “dar a vida” que se recebe cada dia no “aqui e agora” em que Deus nos chama para colaborar com Ele, para que os jovens tenham vida em abundância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.