Roma (Itália).  Nos dias 27 e 28 de novembro de 2021 as Filhas de Maria Auxiliadora da Comunidade Maria Auxiliadora, da Casa Geral de Roma (RCG), tiveram a transmissão do Capítulo Geral XXIV, com a finalidade de viver juntas uma experiência do Espírito Santo, repercorrer o evento em nível vivencial e de conteúdo, compartilhar os dons recebidos, projetar-se no futuro do Instituto das FMA e expressar gratidão, alegria e esperança pelo que foi vivido.

O som festivo do canto “Dançam com alegria, as filhas de Israel” e a acolhida por parte de cinco irmãs que representavam os “servos”, introduziram as FMA da Comunidade na Sala Santa Teresa, para participar da “festa das núpcias” do trecho do Evangelho de João de onde foi tirado o tema do CGXXIV ““Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5). Comunidade geradora de vida no coração da contemporaneidade”.

Irmã Gabriella Imperatore, Delegada ao CGXXIV pela Comunidade, animou a experiência do Capítulo, propondo como primeiro passo uma dinâmica de partilha em pequenos grupos, para sintetizar com uma palavra a experiência particular da Comunidade da Casa Geral: uma experiência vivida diretamente “em campo” – mesmo que fora da Sala Capitular –  num clima de serenidade, oração e serviço para apoiar as 172 Irmãs Capitulares, vindas de 58 países do mundo.

Ao compartilhar o que experimentou, Irmã Gabriella falou de uma experiência única e irrepetível dentro de uma atmosfera de alegria e responsabilidade.  No centro estava sempre a Palavra de Deus, com o cenário das Bodas de Caná e, sobretudo, a presença constante de Maria, mulher preveniente.  A escuta era a atitude prioritária, junto à docibilitas, indispensável para acolher as chamadas de Deus. O discernimento pessoal e comunitário, a reflexão, o estudo, o silêncio, para chegar à eleição da Madre, das Conselheiras e à escolha das linhas programáticas do próximo sexênio, à escuta o Espírito e dos apelos das/dos jovens e da história.

A celebração inicial foi introduzida com as palavras de Madre Yvonne: “É importante desejar escutar a sua voz, estar alerta como uma sentinela, ter um coração que espera com impaciência o encontro” e, retomando os versículos da passagem de João, foi destacada a obediência como ato de confiança corajosa, para permanecer, como Maria e os servos, abertas ao Espírito e acolher o que Jesus pede.

As FMA da Comunidade entraram depois no movimento do evento capitular, com uma panorâmica dos participantes, do processo e da metodologia, sobre o trabalho de estudo e reflexão nas 5 comissões e 15 subcomissões, cujas sínteses foram apresentadas em Assembleia, num clima de confronto sereno e diálogo constante.

O Relatório da vida do Instituto no sexênio 2014/2021, a história das experiências em que se encarna o carisma, as Boas noites, as recreações, foram momentos em que as Capitulares puderam tocar com a mão “quanta vida há” no Instituto das FMA.  Particularmente intensa foi a semana do discernimento, para chegar ao momento eletivo.  Surpreendente e entusiasmante foi a visita do Papa Francisco, profunda e incisiva mensagem conclusiva da recém-eleita Madre Chiara Cazzuola.

As intervenções de Don Erino Leoni, SDB, de Dom Pascual Chavez Villanueva, Reitor-Mor Emérito dos Salesianos de Dom Bosco, do Reitor-Mor Dom Angel Fernández Artime, do Card. João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica e do Secretário Mons. José Rodriguez Carballo foram preciosas para o trabalho.

Na tarde do dia 28 de novembro, a Comunidade é recolocada no clima de escuta e interiorização com o canto em língua espanhola: “Dá-me, Senhor, o teu olhar”. O tempo do discernimento foi vivido com atitudes de gratidão, contemplação e silêncio, para deixar-se transformar para renovar a mente, para ter o coração aberto e disponível.

Gratidão à Madre Yvonne e aos Conselheiros do sexénio anterior torna-se tangível ao rever algumas imagens dos rostos alegres entre as FMA, o povo e  meninos e meninas, adolescentes e jovens que visitaram, e em bênção do seu novo caminho que as espera.  É também fascinante a escuta das entrevistas às novas Conselheiras e às reeleitas, que respondem a perguntas relativas à sua vida, ao mandato e ao serviço no Instituto que se abre a elas.

Depois da apresentação do Documento final, Com Maria, uma profecia de uma presença criativa e corajosa, narração de experiências e os conteúdos do CG XXIV e apresenta as escolhas prioritárias e as linhas de ação, tendo sempre no centro a figura de Maria, profecia de uma presença criativa e corajosa, a celebração de envio, “De Caná a Cafarnaum”, convida a retomar a estrada “para compartilhar a vida e a missão junto aos jovens e leigos, para deixar respirar Deus na nossa existência e enfrentar com coragem os desafios que encontraremos”.

“No canto final das Bodas de Caná, as 5 Irmãs, que representam os 5 continentes em que o Instituto está presente, deitam nos cálices o vinho bom, convite a gestos novos para ser mulheres de esperança, que geram vida em abundância.

No momento do brinde, a surpresa, entra na sala a Madre Geral, Madre Chiara Cazzuola  que convida a levantar os cálices para celebrar “o milagre da sinodalidade” e encoraja a caminhar juntas com audácia para um futuro de esperança para o Instituto das FMA.

Madre Chiara conclui com estas palavras: “A alegria de Jesus no meio de nós – e de Sua Mãe – acompanhou todo o trabalho pré-capitular, capitular e pós-capitular. Auguro-vos também que este caminho seja fecundo de bem e possa ser para nós e para todas as FMA um caminho de regeneração e fecundidade vocacional. Bom caminho!”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.