Roma (Itália). No dia 2 de junho de 2024 uma delegação de sacerdotes, religiosos e religiosas, leigos e leigas da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM) – incluindo o Presidente, Dom Rafael Cob García, Bispo do Vicariato de Puyo (Equador) e os três Vice-Presidentes, Irmã Maria Carmelita de Lima Conceição, FMA, Inspetora da Inspetoria Nossa Senhora da Amazônia (BRM), a indígena peruana Jéssica Patiachi e Dom David Martinez de Aguirre, Bispo do Vicariato de Porto Maldonado (Peru) – e da Conferência Eclesial da Amazônia (CEAMA), com o Presidente, o Cardeal peruano Pedro Ricardo Barreto Jimeno, chegou a Roma para uma tripla celebração: o 10º aniversário da instituição da REPAM, o 5º aniversário do Sínodo Especial para a Amazônia e o 4º aniversário da instituição da CEAMA,

Manter um diálogo fraterno com o Papa Francisco e receber as suas indicações, bem como encontrar-se com os Dicastérios para lhes dar a conhecer a missão de cada organização, a articulação do acompanhamento e a comunhão entre CEAMA e REPAM na Amazônia, já eram os objetivos da sua presença em Roma, até 7 de junho.

O primeiro encontro aconteceu no dia 3 de junho com o Papa Francisco, em audiência privada no Vaticano, um encontro histórico, sendo o primeiro encontro oficial entre o Pontífice e as duas organizações que atuam no território amazônico.

O Papa acolheu o grupo dizendo: “Agradeço-vos por este caminho juntos”. E recomendou: “Devemos continuar a cuidar das pessoas, da nossa casa comum, das nossas culturas. Devemos continuar a cuidar da Amazônia”.

O Cardeal Barreto e Dom Cob saudaram o Papa Francisco em nome da delegação, sublinhando a missão da CEAMA e da REPAM de continuar na construção de uma Igreja sinodal de fisionomia amazônica. Relembrando a experiência do Sínodo para a Amazônia em outubro de 2019, cuja preparação foi coordenada pela REPAM, o Cardeal Barreto sublinhou que, embora no território se continuem a enfrentar graves desafios, REPAM e CEAMA são motivo de esperança para uma ação articulada da Igreja pela defesa da casa comum.

Junto a eles estavam presentes todos os povos que habitam a região pan-amazônica, uma realidade marcada pela pobreza devido à exploração das terras e recursos.

Após o encontro com o Papa Francisco, as delegações de CEAMA  e REPAM tiveram uma intensa agenda, para agradecer e valorizar a presença dos diversos Dicastérios envolvidos na missão de concretizar o Sínodo que, nas palavras do Bispo Rafael Cob, foi: “um kairós do Espírito que move e guia o caminho eclesial, para nos fazer sonhar, com alegria e esperança, os quatro sonhos de Francisco: social, cultural, ecológico e eclesial”.

No dia 4 de junho, no Centro Sheikh Zayed da sede da FAO, a Organização das Nações Unidas para a alimentação e a Agricultura, participaram da apresentação do volume “Amazônia: Novos percursos para a Igreja e para uma ecologia integral”, contendo os Atos da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Região Pan-Amazônica. (cf Vatican News)

Seguiram-se então os encontros com os diversos Dicastérios: da Evangelização, dos Bispos, Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, do Culto Divino, da Comunicação, Dicastério para os Institutos de vida consagrada e as Sociedades de vida apostólica.

No dia 7 de junho, na Universidade Gregoriana, realizou-se a Conferência “Caminho Sinodal da Igreja na Amazônia”, dirigida às agências de cooperação internacional, organizações pastorais e eclesiais, à Vida Consagrada, a todas as pessoas sensíveis à causa da Amazônia, aos jornalistas e às mídias interessadas em entrevistar as Presidências de REPАМ e СЕАМА.

A Delegação também celebrou os mártires que deram a vida pela missão, incluindo muitos missionários, catequistas e trabalhadores sacrificados pela avidez de quem visa somente apropriar-se das suas riquezas naturais.

Irmã Carmelita Conceição expressa assim a alegria de fazer parte deste caminho:

“As Filhas de Maria Auxiliadora da Amazônia estão presentes na Amazônia há 101 anos e é uma grande alegria poder fazer parte desta história marcada por luzes e sombras, trazendo a memória dos missionários que deram a vida também neste território através da pastoral educativa. Como membro da REPAM, estou feliz em ouvir o Papa dizer: “Devemos ir adiante, alargando o horizonte às novas gerações que farão a sua parte, estando presentes na história de hoje. Estou muito grata ao Instituto das FMA e à minha Inspetoria, que me permite participar deste movimento da Igreja inserido na realidade amazônica e aberto ao mundo”.

A REPAM é uma organização eclesial nascida em setembro de 2014 como resultado do caminho empreendido pela Igreja profética e encarnada na Pan-Amazônia, um território que compreende Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela. Proteger e salvaguardar a Amazônia e seus habitantes é fundamental para garantir a existência do Planeta, Casa Comum da humanidade inteira.

Durante os 10 anos de consolidação da Rede, foram gerados diversos processos significativos para o território amazônico, de relevo para toda a humanidade:

– Em 2015, o Papa Francisco sublinhou o tema da Amazônia na Encíclica Laudato si’.

– Em 2019, aconteceu em Roma o Sínodo para a Amazônia.

– Em 2020 foi publicada a exortação apostólica pós-sinodal Querida Amazônia.

– Em 2020 foi fundada a Conferência Eclesial da Amazônia (CEAMA).

Destes processos nasceram a Rede Intercultural de Educação Bilíngue (REIBA) e o Programa Universitário Amazônico (PUAM). Em relação a este percurso, foram fundadas e consolidadas as Redes Eclesiais para a Ecologia Integral em diversos contextos territoriais do mundo, formando a “Ecclesial Alliance for Integral Ecology (ENA).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.