Carmen de Patagones (Argentina) No dia 20 de janeiro de 2020 ocorrem os 140 anos da chegada das primeiras Filhas de Maria Auxiliadora em Carmen de Patagones, na Patagônia. Um acontecimento significativo no início da fundação do Instituto, que está vivendo o triênio em preparação aos 150 anos (1872-2022), sendo que com a chegada das primeiras irmãs na Patagônia começa sua expansão missionária.

A Patagônia é a terra sonhada por Dom Bosco. Por volta de 1872 ele teve um sonho a partir do qual se decidiu a começar o apostolado missionário na Patagônia (MB 10,54-55). No dia 11 de novembro de 1875, com a “Primeira Expedição Missionária”, comandada pelo jovem Jão Cagliero, Dom Bosco enviava seus primeiros missionários, que tiveram que parar em Buenos Aires. Somente de 1879, tendo obtido a permissão do governo argentino, puderam chegar à Patagônia, por insistência de Dom Bosco que tantas vezes havia escrito a Cagliero: “Não ficar em Buenos Aires. Patagônia! Patagônia!”

Como narra a crônica da Casa de Carmen de Patagones, a viagem de Montevideo, das jovens primeiras FMA enviadas por Madre Mazzarello – Ir. Angela Vallese, Ir. Giovanna Borgna, Ir. Angela Cassulo e Ir. Caterina Fina – para chegar à casa de fundação, começa em 3 de janeiro de 1880.

No dia 14 de janeiro, em Buenos Aires, Ir. Angela Vallese, que seria a diretora da nova casa, emite os votos perpétuos nas mãos de Pe. Francisco Bodrato, na presença do Diretor da casa de Buenos Aires, Pe. Tiago Costamagna e da inteira comunidade.

Portone Ingresso Scuola Maria Maria Ausiliatrice Carmen de Patagones.

No dia 20 de janeiro, “Finalmente, depois de tanto suspirar, chegamos a Patagones. Encontramos uma bela casa, o oposto exato do que nos haviam dito, porque pensávamos que em lugar de uma casa teríamos encontrado casa com teto de palha e alimento ruim. (…) Por graça de Deus encontramos todo o necessário para a Capela”.

Em uma carta às Comunidades Educativas, a Inspetora da Inspetoria Argentina S.Francisco Xavier de Bahía Blanca (ABB), Ir.Marta Liliana Ricciolo, expressa o reconhecimento por esta ocorrência, “mistério de vida e Graça” e explica algumas iniciativas:

“No dia 20 de cada mês enviaremos material variado que nos ajudará a renovar nosso ardor missionário e os sonhos de paixão apostólica, para que sejamos “comunidades fecundas e geradoras de vida”. Fazendo como Angela Vallese e as outras irmãs “qualquer coisa que Jesus nos diga”.

Neste primeiro envio, compartilhamos a chegada das primeiras FMA em Carmen de Patagones, narrado na crônica da casa. Ouvindo o desejo do Papa Francisco: “não esquecer a Patagônia”, queremos ressignificar nossa presença nesta terra tão amada e convidá-las a se unirem na oração e no agradecimento e – porque não? – a vir servir Jesus aqui, na pessoa de tantos jovens e pessoas simples.

Desejamos refletir profundamente, lembrar, colocar na oração, a coragem dessas primeiras irmãs que chegaram à Patagônia, especialmente em nossa Casa de Carmen de Patagones. Com o desejo de podermos recriar aquele ardor missionário em nosso tempo, na missão para a qual cada um é chamado”.

No dia 20 de janeiro de 2020 a Madre Geral das Filhas de Maria Auxiliadora, Ir. Yvonne Reungoat, dirigiu-se às FMA da Inspetoria Argentina ABB com uma mensagem:

A celebração oficial dos 140 anos será no dia 13 de março de 2020, lembrando o mesmo dia de 1880 no qual, com as primeiras treze meninas, começaram as aulas na Escola Santa Maria das Indias, hoje Escola Maria Auxiliadora, de Carmen de Patagones.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.