Campos dos Goytacazes (Brasil) Face à pandemia do Covid-19, os Institutos Superiores do Centro Educativo Maria Auxiliadora (ISECENSA) estão a tomar medidas para dar o seu apoio. Os professores dos cursos de Enfermagem e Fisioterapia, numa base voluntária, juntaram-se como “Formiguinhas do Bem” para a produção de batas de protecção e máscaras faciais para doar aos profissionais de saúde de Campos dos Goytacazes e da Região do Rio de Janeiro (Brasil). Numa primeira fase, um grupo de 300 costureiras fez as batas utilizando o material recolhido pelos professores e pela comunidade do campus universitário. Posteriormente, as oficinas do ISECENSA trataram da embalagem e esterilização. “A utilização do autoclave garante a esterilização do material que será utilizado pelos profissionais que estão na vanguarda do tratamento de pacientes com coronavírus” – explica Felipe Jorge, coordenador do curso de Fisioterapia.

Os cursos de Arquitetura, Urbanismo e Engenharia de Produção também se juntaram à iniciativa: no interior do laboratório, alunos e professores produzem ecrãs faciais utilizando impressoras 3D e corte a laser. Segundo Pompílio Reis, coordenador do curso de Engenharia de Produção, “As proteções faciais cumprem as normas e requisitos da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e contribuem actualmente para a necessidade de EPI (equipamentos de protecção individual) nos hospitais”.

“O empenho de todos é essencial para lidar com este momento. A nossa intenção é manter a produção enquanto estamos dentro da pandemia” – diz a coordenadora do Curso de Enfermagem, Aline Marques. A atenção do ISECENSA está também centrada na economia, que é muito afetada pela pandemia de Covid-19. Neste sentido, um parceiro CENSA está a recolher alimentos através dos pais dos alunos, para criar e distribuir pacotes alimentares básicos para a Comunidade Tamarindo. Os residentes locais são essencialmente trabalhadores diurnos e vendedores ambulantes que actualmente se encontram isolados e não podem trabalhar. Também foram doados materiais de higiene e limpeza ao Centro Monsenhor Severino e alimentos à Congregação das Irmãs Redentoristas, que distribuem diariamente refeições aos desabrigados. “Seguindo os nossos fundadores Dom Bosco e Madre Mazzarello, como Comunidade Educativa, somos solidários com os nossos irmãos” – diz a Irmã Rosa Idália Pesca, diretora da CENSA.

Através de redes sociais, há também propostas de exercícios físicos, leituras, cursos, vídeos motivacionais, ensino online, grupos de discussão, apresentações artísticas dos alunos e, sobretudo, sociais que reúnem a comunidade através da oração. Todos os professores dos cursos participam através da publicação de conteúdos sobre a sua área. O material é recolhido num boletim, chamado Boletim P&D, disponível não só para estudantes e professores, mas também para pessoas de fora, como um recurso para enfrentar o período de isolamento.

“Como educadores salesianos, seguimos o princípio da solidariedade e não podemos ignorar este momento único que estamos a viver”. Temos de continuar fortes para ultrapassar esta crise e isso só será possível com a participação de todos. Não estamos próximos fisicamente, mas estamos unidos”, afirmou Elizabeth Landim, Vice-diretora da CENSA e do ISECENSA. “Acreditamos que a partir deste empenho comum sairemos mais fortes e mais ricos em humanismo cristão. Estamos a viver uma verdadeira Páscoa”, diz a Irmã Suraya Chaloub, directora do ISECENSA.

Foto: Flickr FMA

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia
    Parabéns pela iniciativa! Deus recompense a todos que sensibilizados neste momento de crise une forças em vista do bem comum.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.