As Visitadoras

Visitadoras As Constituições afirmam que “a Superiora Geral visitará o Instituto pessoalmente ou por meio das Conselheiras gerais” e definem os objetivos da visita canônica:

  • consolidar o vínculo da caridade
  • fortalecer o empenho de fidelidade às Constituições
  • favorecer o desenvolvimento das obras como resposta às exigências locais no espírito de Dom Bosco e de Madre Mazzarello.

Ressaltam a importância dos encontros pessoais e comunitários a serem vividos num clima de relações espontâneas em vista de um diálogo aberto e construtivo (cf C 120). Tarefas específicas são confiadas às Conselheiras visitadoras:

  • promover um relacionamento construtivo e contínuo entre as Inspetorias e a Superiora geral e o seu Conselho e uma válida colaboração entre as diversas comunidades inspetoriais.
  • oferecer ao Conselho geral um melhor conhecimento das Irmãs e dos ambientes nos quais se desenvolve a missão
  • fortalecer a ação apostólica do nosso Instituto
  • valorizar as diversas culturas (cf C 132)

O Capítulo Geral XXII confirmou e ampliou a interpretação prática dada pelo CG XXI a estes artigos e ressaltou as atitudes que a Conselheira visitadora deve assumir:

  • escuta das pessoas, como Irmã entre as Irmãs
  • abertura às diversas culturas para acompanhar caminhos e processos em vista da unidade vocacional, na qualidade da presença educativa e na inculturação do carisma.
  • empenho para adquirir um conhecimento adequado das realidades que serão visitadas.
  • diálogo com a Inspetora e o seu Conselho para preparar, planejar, avaliar a visita e estudar o modo para garantir a continuidade.
  • confronto com as Conselheiras dos âmbitos e com as Conselheiras visitadoras da mesma Conferência interinspetorial para uma animação coordenada e convergente.

O Capítulo destacou, sobretudo, a necessidade de que as Conselheiras visitadoras sejam uma referência estável para as Conferências interinspetoriais de modo a:

  • acompanhar os caminhos das Conferências
  • favorecer um confronto mais sistemático
  • propor pontos de reflexão para o intercâmbio das Irmãs entre as Inspetorias
  • fortalecer caminhos de solidariedade e de rede (cf Atos CG XXII n. 45).

A Visita canônica é, portanto, uma experiência significativa de animação do Instituto que se realiza no espírito de família e na lógica da coordenação para a comunhão.

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.