Identidade e linguagens dos alunos do XXI século

Roma (Itália). De 28 a 30 de novembro de 2018 a FIDAE nacional propôs uma série de eventos intitulados “Espelho, espelho dos meus desejos... Identidade e linguagens dos alunos do XXI século”, no Auditorium Augustinianum em Roma. Participaram cerca de vinte Filhas de Maria Auxiliadora, representantes das Escolas das 7 Inspetorias da Itália.

Quarta feira, 28 de novembro, pela manhã, houve a participação à Audiência Geral do Santo Padre e à tarde a abertura do Congresso Nacional, com uma oração animada pelos meninos Nomadelfia, a saudação de Virgínia Kaladich, Presidente Nacional FIDAE, e a palavra introdutória de Ernesto Diaco, Diretor do Escritório Nacional para a Educação, a Escola, a Universidade da CEI.

Sobre o tema “Agenda 2030 para as novas gerações: OLHAR o futuro juntos” falou Philippe Richard, Secretário Geral do Escritório Internacional da Educação Católica (OIEC), seguindo-se o relatório de Johnny Dotti, pedagogo e administrador delegado de ON empresa social, sobre o tema “As novas gerações segundo o ponto de vista de um padre-pedagogo-empreendedor”. Convidou a ter um olhar positivo sobre os jovens do nosso tempo e especialmente a ler as situações com esperança e bênção.

Nessa tarde de 28 de novembro, na Basílica de Sta. Maria sobre Minerva, após a Celebração Eucarística presidida por Dom Stefano Russo, novo secretário geral da CEI, realizou-se um estudo artístico-cultural: um discurso sobre Fra Angêlico, na responsabilidade de Anna Delle Foglie, historiadora de arte, com um intermezzo musical do grupo Ethos Ensemble, dirigido pelo maestro Michele Pozzobon, que atuou como “contraponto” ao comentário sobre as imagens.

Quinta feira 29, com a coordenação de Francesco Giorgino, jornalista RAI, realizaram-se as intervenções de Marco Bussetti, Ministro da Educação, da Universidade e da Pesquisa sobre “A escola na Itália e desenvolvimentos da presença da escola paritária no sistema escolar italiano” que expressou o desejo de “criar uma mesa técnica e de discussão com as Escolas Paritárias para encontrar soluções comuns no bem da Instituição Escolar Nacional” e de Simone Riccioni, ator e produtor e Giorgia Benusiglio, escritora em “Os não que tornam livre”, com referência ao novo filme a ser projetado nas escolas: “A minha segunda vez” sobre o tema da droga.

Na segunda parte da manhã e à tarde se realizaram numerosos workshop. Entre os temas abordados, as tecnologias digitais, a sustentabilidade, a criatividade, a luta contra o bullying e o projeto “EU POSSO!” sobre a encíclica Laudato sì do Papa Francisco.

O discurso de encarramento sobre “As novas gerações e as novas fragilidades: o Atlas da Infância em risco na Itália e Agenda 2030” foi tratado por Giulio Cederna, jornalista. Um espaço foi dedicado à apresentação do subsídio do Conselho Nacional da Escola Católica “Educar na mudança” e do XX Relatório do Centro de Estudos da Escola Católica.

O congresso terminou na sexta feira, 30 de novembro de 2018, com a 73ª Assembleia Nacional Eletiva; após cumprir as exigências estatutárias houve a proclamação dos novos Conselheiros Nacionais e dos Auditores, que, junto com os Presidentes regionais formarão o Novo Conselho para o mandato 2018-2021.

Escrever comentário
Não há comentários a esta entrada.
Seja o primeiro a comentar!

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.