FMA em Itajaí, SC: socorro às vítimas da catástrofe. Dor e solidariedade!

FMA em Itajaí, SC: socorro às vítimas da catástrofe. Dor e solidariedade!

Desde que Santa Catarina começou a sofrer as conseqüências das chuvas, dos deslizamentos e inundações, o Lar P. Jacó, administrado pelas Irmãs Salesianas da Província de Porto Alegre, e que diariamente atende em torno de 400 crianças, adolescentes e jovens, tem dado a sua colaboração efetiva às vítimas da catástrofe na cidade de Itajaí.
Imediatamente, aos primeiros sinais do que viria a ser considerada a maior catástrofe da história de Santa Catarina, as Irmãs do Lar P. Jacó se colocaram a serviço da Defesa Civil do Estado, deslocando-se de um lado a outro da cidade, transportando famílias inteiras e ajudando-as a se acomodarem de modo digno, junto aos sdb, no Parque Dom Bosco e no Colégio Salesiano. E não só as FMA, também os leigos, inclusive alguns que perderam tudo na enchente, também arregaçaram as mangas e se disponibilizaram para socorrer os desabrigados. São histórias e histórias de dor e lamento, mas também de solidariedade e de desprendimento de si, em favor de quem mais sofre.

Desde o dia 23 de novembro, quando os rios atingiram o seu limite e transbordaram, inundando 90% da cidade de Itajaí, tanto fma quanto sdb abriram portas e corações para acolher. Esta é a palavra-chave: acolher no espaço físico, mas acolher também interiormente, oferecendo conforto e consolo.
São em torno de mil famílias que foram socorridas pelas fma junto com os sdb. Só no primeiro dia, o Lar disponibilizou 600 kg de frango, outros tantos de arroz, açúcar e gêneros os mais diversos, para saciar a fome de quem se viu de mãos vazias da noite para o dia. Chegou um momento em que não havia mais pão. Supermercados e padarias inundados. O Lar P. Jacó cedeu o seu estoque de farinha de trigo, o Parque Dom Bosco conseguiu o padeiro, e lá estavam as Irmãs até meia noite colaborando, amassando junto o pão, assando-o e distribuindo.

A partir do dia 28, a Defesa Civil montou acampamento no Lar P. Jacó, e lá estão novamente as fma. Agora que as águas baixaram e as famílias deixaram os abrigos, é hora de retornar à própria casa e reconstruir o que sobrou. Se é que sobrou alguma coisa. Mas voltar e fazer o quê?
É neste sentido que o Lar P. Jacó está preparando diariamente em torno de 3 mil kits-refeição. A população não têm o que cozinhar e nem onde cozinhar. Então, a Defesa Civil abastece o Lar P. Jacó e as Irmãs e leigos preparam a alimentação. Cada kit-refeição tem 5 sanduíches, uma marmita com comida quente e 5 litros de água. São as próprias Irmãs, sempre ajudadas pelos leigos, que vão até onde se encontram as famílias para entregar as refeições.
No dia 28, foram preparados e distribuídos pelo Lar P. Jacó 4 mil e 600 kits-refeição. No dia 29, foram mais outros 3 mil e 100 kits. Hoje, dia 1º de dezembro, já foram entregues 1.800 kits, pela manhã. No final da tarde serão outros 1.200 kits. É a própria Defesa Civil que define os lugares de maior urgência e necessidade. Entre estes, já foram atendidos pelas fma os bairros Murta, Vila da Miséria, Pró-Morar (1, 2 e 3), Cordeiros e São Vicente.

O Lar P. Jacó, situado no bairro Fazendo, em Itajaí, não foi atingido pelas águas, mas mesmo assim não pode atender as crianças que diariamente atende, tendo em vista o socorro aos flagelados. No momento, a cidade de Itajaí enfrenta outro drama: as águas deixaram a cidade, sobrou apenas lama e lixo, mas começam os deslizamentos de terra e muitas casas já desabaram.
Para outras informações, consulte o site http://arcadenoe.ning.com.

Escrever comentário
Não há comentários a esta entrada.
Seja o primeiro a comentar!

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.