Rivista DMA

60 anos de vida do DMA

60 anos de vida do DMA

“A tradição é uma realidade viva, por isso inclui o princípio do desenvolvimento, do progresso. É como dizer que o rio da tradição carrega a sua fonte e tende na direção da fonte”, dizia o Papa emérito Bento XVI. Custodiar a história pessoal e a história da própria Família significa assumi-la, valorizá-la, aprofundá-la, torná-la viva e entregá-la ao futuro. Em total fidelidade, porque o olhar está sempre na direção da fonte.
No sulco da memória de um dom recebido em gratuidade e a ser “custodiado” com amor, neste número a Revista DMA é acompanhada por outra publicação com o título: “A comunicação na história do Instituto das FMA”. Como Âmbito para a Comunicação social escolhemos compartilhar um pedaço da nossa história para celebrar os 60 anos de vida da Revista, nascida com a intenção de sustentar o caminho educativo e a ação catequética das FMA, e publicada pela primeira vez no ano 1952-53, em Milão. Hoje o DMA realiza a tarefa de mediar as orientações do Conselho Geral e de ajudar as Irmãs no processo de autoformação. Empenha-se em aprofundar as temáticas dos Capítulos Gerais, em atenção constante à realidade da Igreja e do mundo.
É instrumento formativo que oferece a oportunidade de entrar em uma rede comunicativa: ela mesma é uma mediação de comunicação que se insere no curso da história de um Instituto – que é o nosso – essencialmente educativo e comunicativo. Por isso acreditamos fazer um presente agradável a todas as Comunidades educativas, em particular às FMA, com uma publicação que refaz os passos do caminho realizado em atenção aos tempos e com o olhar no futuro. Um percurso de história cujas fontes estão em Valdocco e em Mornese.
O texto quer ser também um agradecimento a tantas Irmãs que nestes 60 anos acompanharam o surgir, o crescer, o qualificar-se da Revista.
Podemos afirmar que o DMA é Revista feminina e mariana. Nós, mulheres consagradas para a missão, queridas por Dom Bosco como “Filhas de Maria Auxiliadora”, vivemos hoje uma etapa favorável que nos permite penetrar e aprofundar o sentido da nossa tradição mariana e a identidade carismática, da qual Maria é “espelho”. O Convênio mariano que o Instituto celebra neste mês de setembro em Roma sobre o tema “Filiação: categoria que interpela a identidade mariana das FMA”, insere-nos de modo vivo no rio da longa tradição salesiana e abre a novas perspectivas de futuro, para uma renovada consciência do carisma recebido como dom.

gteruggi@cgfma.org

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.